sábado, 9 de outubro de 2010

HELITECH 2010 (M425-36PM/2010)

A simpatia da organização na recepção aos visitantes
O EH-101 da Força Aérea com lança de reabastecimento em voo foi o objecto de maior curiosidade
O Kamov Ka-32 da Heliportugal com equipamento de combate a incêndios
Cockpit do Ka-32
Um dos poucos movimentos registados no último dia da feira
A indústria internacional pisca o olho ao mercado nacional com a realização da Helitech
As conversas que um evento destes sempre proporciona
A Helibravo uma das empresas nacionais representada com vários helicópteros na exposição
AS-365N3 Dauphin 2 da Heliportugal, a primeira empresa privada de helicópteros em Portugal
Vista lateral do EH-101 Merlin da FAP com lança de reabastecimento em voo
Operações de desmontagem da lança de reabastecimento em voo no fim do evento
Decorreu durante a semana que ora finda, mais concretamente entre  os dias 5 e 7, a segunda edição da feira dedicada às aeronaves de asas rotativas realizada no nosso país.
A Helitech reuniu assim no aeródromo de Tires dispostas em cerca de 80 stands, empresas nacionais e extra-fronteiras, relacionadas de algum modo com o mundo dos helicópteros. Desde fabricantes de aeronaves, instrumentos de voo, instrumentos de vigilância, resgate, simuladores de voo, equipamento de combate a incêndios, imprensa especializada e tudo o mais que se possa imaginar afecto ao tema, fez-se representar com o que de melhor se produz hoje em dia,  com especial relevância para as marcas europeias.

Em movimento, realizando demonstrações de combate a incêndios estiveram dois helicópteros AS350 Ecureuil da Helibravo, que provaram in loco as capacidades destes aparelhos na execução deste tipo de missão, sobre um "incêndio" provocado dentro do perímetro do aeródromo.

Do programa constaram ainda um sem-número de palestras e conferências, que se desenvolveram ao longo dos dois primeiros dias, cobrindo um largo leque de temas relacionados com o treino e operação dos helicópteros.  

De especial relevância, esteve também um EH-101 Merlin da Força Aérea, com sonda de reabastecimento em voo instalada, visão incomum em terras nacionais.

Apesar de ser um certame especialmente dedicado a profissionais, o público em geral não deixou de estar presente nas zonas acessíveis, atestando o interesse e o fascínio que a aeronáutica sempre desperta.

A organização considerou o evento um sucesso, tendo em conta o número de expositores e visitantes. Do ponto de vista nacional, é também bom ver o interesse internacional no nosso mercado, merecedor da realização de uma feira capaz de proporcionar mais e melhores negócios dentro do ramo aeronáutico.

Para o simples apreciador da aviação, qualquer oportunidade (e a Helitech é uma mais) é boa para estar em contacto com os pássaro de ferro, tenham eles hélices, jactos ou rotores.
 

Vista geral da placa da exibição estática
.
Fica ainda a lista dos meios aéreos presentes no certame:
.
AS-365 Dauphin 2 (Heliportugal) F-OJTU
AS-350 Ecureuil  (Heliportugal) CS-HGO
Ka-32A11BC (Heliportugal) CC-CXV
AW-139 (Heliportugal) CS-HGH
2x AS-350 Ecureuil (Helibravo) CS-HCY e CS-HED
Robinson 44 Raven II (Helibravo) CS-HGF
EH-101 Merlin (FAP)  19611
EC-135  (FAMET UME) ET-196
AS-350B2 Ecureuil (Inaer) CS-HHA
.
Realizaram as  demonstrações de combate a incêndios as seguintes aeronaves:
AS-350B3 Ecureuil  (Helibravo) CS-HGZ
AS-350B2 Ecureuil (Helibravo) CS-HFT 
.

0 Voaram em formação:

ARTIGOS MAIS VISUALIZADOS

CRÉDITOS

Os textos publicados no Pássaro de Ferro são da autoria e responsabilidade dos seus autores/colaboradores, salvo indicação em contrário.
Só poderão ser usados mediante autorização expressa dos autores e/ou dos administradores.

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Laundry Detergent Coupons
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...>