quinta-feira, 16 de junho de 2022

PAÍSES BAIXOS ESCOLHEM C-390 [M2324 - 39/2022]

Embraer KC-390 Millennium

O Ministério da Defesa dos Países Baixos anunciou o Embraer C-390M Millennium como o sucessor na substituição da frota de quatro C-130H Hercules na Koninklijke Luchtmacht (Real Força Aérea dos Países Baixos).

Apesar de inicialmente ter sido considerada a encomenda de número igual de C-390, o número final será de cinco aviões, devido às lições retiradas da evacuação do Afeganistão em 2021 e mais recentemente com a mudança do panorama de segurança internacional no Leste da Europa. A primeira entrega está prevista para 2026.

Segundo foi ainda revelado, o C-390 demonstrou melhores prestações em vários dos requisitos colocados, nomeadamente na taxa de disponibilidade, performances superiores em vários requisitos técnicos e mais baixa manutenção. O C-390 consegue ainda assegurar o requisito mínimo de 2400 horas de voo com quatro aeronaves, enquanto o C-130J necessita de cinco aeronaves para o mesmo tempo.

A Embarer emitiu entretanto um comunicado em que se manifesta "honrada com a decisão do Ministério da Defesa neerlandês de selecionar a aeronave de transporte multimissão C-390 Millennium". O comunicado prossegue ainda "Reconhecendo que ainda há muito trabalho a ser feito nos próximos meses, estamos comprometidos com o sucesso desta nova fase de cooperação com o Ministério da Defesa neerlandês. Nesse processo, a Embraer dedica-se a aprofundar a colaboração com a indústria local e centros de conhecimento".

De notar que a Embraer e a também neerlandesa Fokker assinaram recentemente um Memorando de Entendimento para uma parceria, que incluía já serviços de suporte para o sistema de armas C-390.

A frota de C-390M neerlandesa será integrada no Comando Europeu de Transporte Aéreo (EATC), consórcio para a partilha de aeronaves de transporte de sete países.

Os Países Baixos tornam-se assim o terceiro cliente europeu e da NATO do sistema de armas C-390 Millennium, depois de Portugal (cinco aeronaves) e Hungria (duas).

Com a decisão de redução da encomenda por parte da Força Aérea Brasileira - maior cliente do modelo - e da Suécia que também era apontada como potencial comprador do C-390 ter optado por adquirir C-130J usados à Itália, esta notícia é obviamente recebida com entusiasmo também pelos outros clientes, dado os receios que se vinham a criar de poucas aeronaves em operação poderem dificultar o apoio logístico durante a vida útil da frota.





quarta-feira, 15 de junho de 2022

70 ANOS DA FORÇA AÉREA PORTUGUESA - FESTIVAL AÉREO EM BEJA [M2323 - 38/2022]

Cartaz do Festival Aéreo no dia 3 de julho na BA11

A Força Aérea Portuguesa divulgou o programa para assinalar o seu 70.º Aniversário, que incluirá um Festival Aéreo e uma Exposisção Estática de Aeronaves na Base Aérea N.º11 , em Beja, no dia 3 de julho. 

Assim, a BA11 abrirá portas ao público às 08H00 de Domingo 3 de julho com as atividades aéreas a terem início pelas 10H00, com largada de paraquedistas e demonstrações aéreas. A partir das 14H00 será o Festival Aéreo propriamente dito, que promete ser um dos maiores dos últimos 20 anos em Portugal.

Estarão presentes as patrulhas acrobáticas Frecce Tricolori da Força Aérea Italiana, “La Marche Verte” da Real Força Aérea Marroquina, e “ASPA” da Força Aérea Espanhola, além das exibições solo de F-16M da Bélgica, Typhoon do Reino Unido e Espanha e os Flying Bulls.

O Festival Aéreo será encerrado por dois F-16M da Força Aérea Portuguesa. 

A Exposição Estática contará com aeronaves da Força Aérea Portuguesa e dos participantes do exercício Real Thaw 2022, que decorrerá de 26 de junho a 8 de julho, também na BA11.

Não há para já informação acerca de um possível spotters day associado ao exercício Real Thaw.





segunda-feira, 13 de junho de 2022

"LOBOS" NO DYNAMIC MONGOOSE 22 NA NORUEGA [M2322 - 37/2022]

Descolagem do P-3C CUP+ dos "Lobos" rumo à Noruega      Foto: André Carvalho

 A Esquadra 601 - "Lobos" da Força Aérea Portuguesa dá hoje, 13 de Junho de 2022, início à participação no exercício Dynamic Mongoose na Noruega, naquele que é um regresso após a última participação em 2019.

O Dynamic Mongoose é um exercício avançado da NATO destinado a treinar guerra antissubmarina, de realização anual no Mar da Noruega, contando este ano com a participação de um total de 3 submarinos, 11 navios de superfície e 16 aeronaves de patrulhamento marítimo.

Patch da Esquadra 601 alusivo à participação no Dynamic Mongoose 22


Além de Portugal, participam na iteração de 2022 do Dynamic Mongoose a Alemanha, Canadá, Dinamarca, EUA, França, Noruega, Países Baixos e Reino Unido.

Liderado pelo Comando Marítimo Aliado, este exercício conjunto e combinado, tem por objectivo proporcionar aos participantes um treino em cenários de guerra complexos, realistas e desafiantes, de modo a melhorar a interoperabilidade e proficiência, entre países e ramos das diversas forças armadas participantes.

Imagem de arquivo de actividades aeronavais durante o exercício Dynamic Mongoose    Foto: B. Underwood/US Navy

Estes exercícios são planeados para ganhar experiência, melhorar o trabalho em equipa e o conhecimento da área de operação, fortalecendo a interoperabilidade dentro da Aliança [Atlântica]”, disse o Comandante de Submarinos da Marinha dos EUA, o contra-almirante Stephen Mack. “Irão decorrer nas águas do GIUK [NR: espaço marítimo entre a Groenlândia, Islândia e Reino Unido] entre a Islândia e a Noruega, demonstrando a capacidade da NATO em operar na área, incluindo o nosso papel de manter a liberdade de navegação para a comunidade marítima internacional.”

A aeronave P-3C CUP+ dos "Lobos" com número de cauda 14810 partiu da Base Aérea nº11 em Beja na passada quinta-feira 9 de Junho, rumo a Andoya na Noruega, de onde irá operar até dia 23 de Junho, antes do regresso a Portugal. 

Registo no site ADSB Exchange da partida do P-3C n/c 14810 para o Dynamic Mongoose

A projecção do contingente de 36 militares da FAP na Noruega foi ainda apoiada por um C-130H Hercules (n/c 16805) da Esquadra 501- Bisontes.

Já a fragata NRP Côrte-Real da Marinha Portuguesa também irá participar no exercício, integrada na Força Marítima Permanente da NATO 1 (SNMG1), e levando embarcado um destacamento de sistemas aéreos não tripulados, constituído por três sargentos, com formação em operação e manutenção UAV da classe Açor, com cerca de 15 kg. O drone irá permitir estender o raio de vigilância do navio, sendo de grande relevância em missões de vigilância e patrulhamento de espaços marítimos, tais como aquelas desempenhadas pela SNMG1.

NRP Côrte Real à passagem pelas ilhas Faroé em rota para o exercício    Foto: SNMG1
UAV classe Açor       Foto: Marinha Portuguesa




10 DE JUNHO - FORÇA AÉREA EM BRAGA [M2321 - 38/2022]


A cidade de Braga foi este ano o palco das comemorações de mais um 10 de junho, o feriado que comemora Portugal, Camões e as Comunidades Portuguesas.
Neste dia, a exaltação da "Portugalidade" acontece e, por norma, as Forças Armadas estão sempre presentes. Este ano, não foi exceção.
A Força Aérea colocou no centro de Braga o seu F-16 s/n 15100, juntamente com um Alouette III que puderam ser observados de perto por milhares de pessoas.
No dia 10 de junho participou, pelo ar, no habitual desfile militar sobre as forças em terra que percorreram a Avenida da Liberdade, uma das principais artérias da "Roma Portuguesa".

Alouette III

EH-101 Merlin

Lynx MK.95A (Marinha Portuguesa)

AW119 Koala

C-130H Hércules

P-3C Cup+ Orion

F-16M


Fotografia: Rui Ferreira
Texto e edição: Pássaro de Ferro


domingo, 12 de junho de 2022

F-16 DA BÉLGICA - O "Dream Viper" para a época 2022/2024 [M2320 - 37/2022]


Da Bélgica chegaram-nos imagens do "Dream Viper", o F-16AM (FA-87) da Força Aérea Belga, pilotado pelo capitão Steven "Vrieske" De Vries e que teremos oportunidade de ver e ouvir nos céus de Beja, já nos próximos dias 2 (treinos) e 3 de julho (Festival Aéreo).

De realçar contudo, que a exibição em Portugal não contará infelizmente com a sempre espetacular largada de flares (visível nas fotos que apresentamos), devido ao risco de incêndio dos artefactos pirotécnicos.

Quanto à pintura ora apresentada, será usada na época de exibições de 2022 a 2024. De realçar que as demonstrações do F-16 Belga são caracterizadas por excelentes manobras, muitas de dificuldade técnica e física elevada, que demonstram bem as capacidades do "Viper" e do seu piloto - o mais experiente na Europa a voar F-16 - contando mais de 5000 horas aos comandos do mais bem sucedido caça de 4ª Geração!










Agradecimento a Andrew Timmerman pelo envio das fotografias.


domingo, 29 de maio de 2022

MARINHA PORTUGUESA ANUNCIA PROJECTO DE NOVO NAVIO POLIVALENTE [M2319 - 36/2022]

Plataforma Naval Multifuncional    Ilustração: Marinha Portuguesa
 A Marinha Portuguesa tem um novo conceito de navio multifunções que quer desenvolver e construir nos próximos anos. Quem o apresentou foi o próprio Chefe de Estado Maior da Armada (CEMA) Almirante Gouveia e Melo, em entrevista à TSF na passada semana.

Provisoriamente designado "Plataforma Naval Multifuncional", o projecto irá ser desenvolvido com recurso a fundos do Programa de Recuperação e Resiliência (ou PRR, vulgo "Bazuca Europeia"), com uma verba alocada de 94,5M EUR e envolvendo a "indústria portuguesa, a academia portuguesa e a ciência que se faz em Portugal", segundo Gouveia e Melo.

Seguindo a tendência de outros ramos e outros programas de reequipamento recentes, o navio terá possibilidade de dupla utilização civil e militar, nomeadamente no apoio a emergências civis e ambientais, vigilância marítima e investigação científica.

Ilustração: Marinha Portuguesa

Seguirá também o novo conceito "modular", que permitirá readaptar "semana a semana" o navio a diferentes requisitos e ao local geográfico onde tiver que actuar. De acordo com o CEMA, o navio terá capacidade para actuar nos "quatro domínios", o que será conseguido através do uso de drones, tanto aéreos como submersíveis, ou veículos tripulados.

Ilustração: Marinha Portuguesa

Relativamente à utilização de meios aéreos, nas especificações para a Plataforma Naval Multifuncional descritas na documentação do Governo constam:

"-Capacidade de suportar o lançamento / aterragem e descolagem de meios robóticos aéreos, quer de asa fixa quer de asa rotativa (de preferência vertical 'take-off and landing', mas eventualmente recorrendo a 'launch pads', redes de captura, catapulta);

-Possuir um helideck à proa compatível com helicópteros operados pela Marinha Portuguesa

-Duas esquadras aéreas de Drones de asa fixa e rotativa."

Na mesma entrevista, o Almirante Gouveia e Melo deixou ainda antever o objectivo de preparar o caminho com a indústria e academia nacionais neste projecto, para ser possível desenvolver navios do mesmo tipo e mais evoluídos, para um "futuro de médio prazo, em que temos de substituir as fragatas, que estão a chegar ao fim de vida".

Não havendo ainda calendário divulgado para o desenvolvimento e construção do navio, sobra apenas o balizamento temporal decorrente do PRR, que define em geral o ano de 2030 como horizonte para a execução das verbas.

Dada a escassa informação divulgada para já acerca deste projecto, não é por enquanto ainda possível perceber se este navio é suposto ser complementar, em substituição, ou se de algum modo poderá interferir com o longamente desejado Navio Polivalente Logístico, de execução adiada há largos anos, apesar de consagrado nas sucessivas Leis de Programação Militar.




terça-feira, 24 de maio de 2022

BRASIL INSISTE EM REDUZIR ENCOMENDA DE KC-390 [M2318 - 35/2022]

FAB continua a colocar barreiras aos números de compra do KC-390

Segundo noticiou o jornal "O Globo", ontem 23 de Maio de 2022, após a redução da encomenda original de 28 aviões KC-390 para 22, a Força Aérea Brasileira (FAB) mantém o objectivo de encolher o número para apenas 15.

A publicação brasileira cita o Tenente-Brigadeiro do Ar Carlos de Almeida Baptista Junior: "O problema é a imprevisibilidade orçamentária. Não temos como arcar com isso no curto prazo", terá dito o comandante da FAB durante um café com os jornalistas. 

Quando a FAB revelou a intenção de reduzir a encomenda de KC-390 no decorrer do ano de 2021, o número-alvo pretendido pela Arma Aérea Brasileira era realmente de 15 exemplares, da aeronave de carga multimissão. A intenção seria priorizar o programa do caça F-39 Gripen, o que tornava impossível financiar ambos os programas. Após negociações com a Embraer, as partes chegaram a um compromisso de redução para 22 unidades, anunciado em Fevereiro de 2022, com base em variações contratuais que previam ainda a ampliação do prazo de entrega de 2026 para 2034.

Agora, e apenas três meses volvidos sobre o acordo, o comandante da FAB reitera a intenção da redução para o primeiro número pretendido: "Essa não é uma boa notícia, mas não temos como segurar esses projetos" terá acrescentado ainda na mesma ocasião com os jornalistas.

Quando solicitada a comentar a notícia pela agência internacional Reuters, a Embraer respondeu ter "contrato com a Força Aérea Brasileira para o fornecimento de 22 aeronaves", enquanto a FAB não respondeu (ainda) ao mesmo pedido de comentários. 

Sendo agora (de novo) incerto o número de exemplares a adquirir pelo Brasil, o modelo tem vindo entretanto a ser oferecido ou demonstrado interesse em vários outros países, entre os quais recentemente a Índia ou Itália, circulando rumores de uma nova encomenda para breve. Mas certas para já no exterior ao Brasil, apenas as compras de Portugal (5 aeronaves) e Hungria (2).




segunda-feira, 9 de maio de 2022

EXTREMACH LOOP EM TALAVERA [M2317 - 34/2022]

EF-18M Hornet fotografado do Castelo da Feria      Foto: Jose Rodriguez JJ

 
Aos poucos o mundo vai normalizando, depois de dois anos dominados pela pandemia de Covid-19 e um exemplo disso mesmo é o regresso de alguns spotters days/dias de base aberta que tinham já um lugar consolidado no calendário anual dos entusiastas.

Assim foi o caso da Ala 23 da base de Talavera la Real, amiúde visitada por spotters portugueses, dada a proximidade geográfica com a fronteira portuguesa, a raridade das aeronaves residentes (F-5BM por exemplo) e o empenho da organização em proporcionar eventos de qualidade e raridade, como o evento nocturno de 2019 e todas as condições proporcionadas aos presentes.

O dia 23 de abril de 2022, estava assim reservado para o regresso à base da Extremadura espanhola, com a novidade principal a acontecer no dia anterior, sob a forma de uma sessão fotográfica no Castelo da Feria, baptizada "Extremach Loop", numa alusão ao "Mach Loop" no Reino Unido, a famosa zona de treino de voo a baixa altitude.

EF-2000 Typhoon         Foto: Jose Rodriguez JJ       

F-5BM         Foto: Jose Rodriguez JJ

Apesar da meteorologia não ter colaborado, tendo a sessão de dia 22 decorrido sob chuva intensa, para os poucos fotógrafos que se atreveram a colocar as câmaras e objectivas de fora, os resultados ainda assim, deixaram ver a potencialidade do local, para a realização de excelentes imagens das passagens das aeronaves em redor do castelo.

Já sábado 23 presenteou os que por lá compareceram - entre os quais mais uma vez um pequeno grupo de spotters da Associação Aeronáutica do Algarve - com meteorologia boa q.b. e um elephant walk, com as aeronaves do Ejército del Aire que participaram no evento.

O elephant walk dos meios presentes ena base de Talavera la Real

F-5BM

EF-18M Hornet

EF-2000 Typhoon

Pilatus PC-21

Para o futuro, ficou a promessa de melhor meteorologia numa próxima sessão de Extremach Loop e a garantia da simpatia de sempre da organização.






Agradecimentos: Fernando Sousa e José Rodriguez 




ARTIGOS MAIS VISUALIZADOS

CRÉDITOS

Os textos publicados no Pássaro de Ferro são da autoria e responsabilidade dos seus autores/colaboradores, salvo indicação em contrário.
Só poderão ser usados mediante autorização expressa dos autores e/ou dos administradores.

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Laundry Detergent Coupons
>