quarta-feira, 11 de dezembro de 2019

PARLAMENTO ROMENO APROVA COMPRA DE MAIS F-16 PORTUGUESES [M2080 – 67/2019]

F-16 do primeiro lote vendido por Portugal à Roménia

A Câmara dos Deputados, órgão de decisão do Parlamento, aprovou esta quarta-feira o Projecto de Lei para a compra a Portugal de mais cinco caças F-16, na mesma configuração das 12 já adquiridas, de modo a finalmente ter uma Esquadra de Voo operacional completa.
A compra das aeronaves havia sido já aprovada no final de Novembro do corrente ano de 2019, pelo Conselho Supremo de Defesa da Roménia, tendo o Governo local ratificado o projecto de Lei respectivo.

Segundo a imprensa romena, o valor do negócio para a aquisição dos cinco F-16  é de 333,2M EUR  dos quais 154,7M são relativos ao contrato com o Governo da República Portuguesa e 178,5M referentes ao contrato com os EUA.  Os valores finais contudo, só serão conhecidos exactamente após a conclusão das negociações para a finalização do pacote de bens e serviços.
Recordamos que em Agosto passado, o Executivo português aprovou gastos com a alienação das cinco aeronaves no valor de 130M EUR, tal como o Pássaro de Ferro oportunamente noticiou.

Segundo o chefe de Gabinete do Primeiro Ministro, Ionel Dancă, quatro células de F-16 serão adquiridas em 2020, ficando a última para 2021, estando os valores necessários reservados no projecto de orçamento para o próximo ano.

Os aviões deste segundo lote vendido por Portugal à Roménia, terão -como referido - a mesma configuração dos 12 já entregues em 2016 e 2017. A Força Aérea Romena ficará por isso, com um total de 17 F-16MLU - 13 monolugares e 4 bilugares - na configuração M6.X.

A Força Aérea Portuguesa está previsto ficar com uma frota de 28 F-16MLU - 25 monolugares e 3 bilugares, sendo para tal necessária a modificação na OGMA de três células adicionais para o padrão MLU, entretanto já requisitadas aos EUA.






sábado, 30 de novembro de 2019

QUARENTA ANOS - Parte II - [M2079 – 66/2019]


O F-16 é, seguramente, um dos aviões mais fotografados pelo Jorge Ruivo, mas ao longo destes 40 anos de atividade e segundo confidenciou ao Pássaro de Ferro, os dois pontos (mais) altos foram atingidos quando, em novembro de 2008 cumpriu uma missão operacional no interior de um caça F-16B da Esquadra 201...


....E em outubro de 2012 quando esteve a bordo o porta-aviões norte-americano USS John C. Stennis nas águas do Golfo Pérsico e aí pode testemunhar o que é viver e estar num gigantesco vaso de guerra, repleto de aeronaves e ação.


Duas fotografias obtidas a bordo do USS John C. Stennis, em outubro de 2012.

As fotografias que se seguem, fazem parte da última missão ar-ar que cumpriu na República Checa, este ano.










Ver a Parte I.

sexta-feira, 29 de novembro de 2019

KC-390 MILLENNIUM TESTA SISTEMAS DE DEFESA ELECTRÓNICA [M2078 – 65/2019]

Teste do sistema de largada de flares do KC-390 Millennium      Foto: Sar. Bianca Viol/FAB


A Ala 3 da Força Aérea Brasileira, em Canoas (Rio Grande do Sul), foi o local de um teste inédito da aeronave multimissão KC-390 Millennium. Os três lançamentos de chaff e flares, o primeiro parcial e os dois últimos com carga completa, foram realizados no final de Outubro em dois voos, com imagens registadas a partir da rampa traseira de um C-105 Amazonas (designação local do C295M).

“O objetivo do ensaio foi realizar todas as manobras nos limites do ‘envelope’ da aeronave para garantir que, em termos de segurança, o avião possa empregar todos os chaffs e flares da melhor maneira possível”, explica o Tenente Engenheiro Rafael Macedo Trindade, do Instituto de Pesquisas e Ensaios em Voo (IPEV), um dos militares que acompanha os ensaios do KC-390 Millennium pela Força Aérea Brasileira (FAB).

O C-105 e o KC-390 Millennium foram nivelados a cerca de 10.000 pés de altitude e a uma distância de 25 milhas – aproximadamente 40 quilómetros – da costa, permitindo a captação das imagens. Além disso, o próprio KC-390 Millennium foi equipado com câmeras que registaram o ensaio para análise. E, ainda, outra aeronave – um Phenom – foi utilizada para que houvesse captação de imagens da lateral do avião.

Lançadores de cauda 

Segundo o Gerente Operacional do Projeto KC-390 Millennium no Comando de Preparo (COMPREP), Major Aviador Reinaldo Alves da Silva, os dispositivos irradiadores de infravermelho e partículas metálicas chamados de flares e chaff, respectivamente, são contramedidas defensivas essenciais a uma aeronave militar. “O KC-390 é uma aeronave multimissão e, em algum momento, podemos ter que entrar em território inimigo. Então, esse sistema autónomo de defesa é utilizado para despistar armamentos, radares e outras aeronaves”, ressalta o Major.

O primeiro KC-390 Millennium foi entregue à FAB em setembro de 2019 e está sedeado na Ala 2, em Anápolis (Goiânia). Ao todo, 28 aeronaves vão compor o acervo da Força Aérea Brasileira. Após cada certificação, as tripulações passam a operar as diversas funcionalidades do avião até atingir a capacidade final de operação (Final Operational Capability – FOC), que estará disponível em todos os KC-390 Millennium da FAB.

Portugal assinou um contrato com a Embraer para a aquisição de já 5 unidades do KC-390, destinadas à Esquadra 501, no Montijo, com a primeira entrega prevista para 2023. Os equipamentos de guerra eletrónica (EW Suite) das aeronaves destinadas à Força Aérea Portuguesa foram contudo, alvo de um contrato separado com a Elbit Systems, no valor aproximado de 45M EUR.







sábado, 23 de novembro de 2019

QUARENTA ANOS - Parte I - [M2077 – 64/2019]


Quando se fala em nomes portugueses ligados ao tremendo entusiasmo pela aviação - sobretudo a militar - pelo meio de vários e respeitáveis nomes mais ou menos (re)conhecidos, o nome Jorge Ruivo salta facilmente para a colação, através de excelentes fotografias que há já quatro décadas vai obtendo em diversas partes do mundo e partilhando também em diversos suportes, desde o digital até à imprensa escrita e publicada da especialidade.
Aproveitando uma recente deslocação à República Checa para mais uma operação fotográfica air to air, o Pássaro de Ferro lançou-lhe o repto para que partilhasse algumas com os seus milhares de leitores e seguidores.
Como seria de esperar, aceitou o convite e é disso que damos conta nesta edição.
Quarenta anos de dedicação!
Parabéns!


Este trio de imagens (parelha F-86, T-38 e T-33), obtidas na BA5 - Monte Real algures em novembro de 1979, ilustram os primeiros passos do autor na sua paixão pela fotografia de aviação... Desde esse remoto ano de 1979, nunca mais parou e, recentemente, na República Checa, registou estas belas imagens que se apresentam, numa primeira de duas partes.

 









segunda-feira, 18 de novembro de 2019

DESTACAMENTO ALEMÃO EM TANCOS [M2076 – 63/2019]


Na passada semana o nosso leitor Nuno Freitas fotografou em Tancos uma dupla de aeronaves alemãs que fazem parte de um destacamento aéreo daquele país.
Um Airbus A400 Atlas e um PZL-Mielec M-28 Skytruck tem efetuado missões de largada de páraquedistas a partir da pista da antiga Base Aérea nº 3, seguramente à procura de melhores condições climatéricas, do que no seu país de origem.
Por serem duas aeronaves pouco usuais nos céus nacionais, são registos sempre interessantes.
Ficam os agradecimentos ao Nuno Freitas, pela cedência das fotografias.






domingo, 17 de novembro de 2019

FAP TEM DOIS NOVOS PILOTOS GRADUADOS NO FWIT [M2075 – 62/2019]

Cerimónia de graduação em Leeuwarden                   Foto: RNLAF

Após sensivelmente seis meses de exigente trabalho, os dois pilotos da Força Aérea Portuguesa (FAP) que participaram no curso FWIT (Fighter Weapons Instructor Training) receberam o diploma de graduação das mãos do Gen. Dennis Luyt, e o tão almejado "patch", em cerimónia realizada na base aérea de Leeuwarden, Países Baixos, no dia 14 do corrente mês de Novembro de 2019.

O "patch" que os pilotos graduados passarão a envergar no braço esquerdo

No FWIT, equivalente europeu do famoso "Top Gun" da US Navy, participaram nesta edição, além dos dois alunos (um de cada Esquadra de F-16), instrutores também das Esquadras 201 e 301 da FAP, eles próprios graduados no FWIT em edições anteriores.

Imagem: António Almas

No curso de 2019, denominado "Live and let Die", participaram as forças aéreas de Bélgica, Países Baixos e Portugal. Noruega e Dinamarca já não apresentaram alunos, devido ao processo de transição para o  F-35. O próprio curso, irá aliás evoluir nos próximos anos, para corresponder às especificidades deste novo sistema de armas, tendo o F-35 tido mesmo já uma breve participação em 2019.




MARINHA COLABORA COM FORÇA AÉREA NA QUALIFICAÇÃO DE TRIPULAÇÕES DE HELICÓPTEROS [M2074 – 61/2019]




Nos dias 12 e 13 de Novembro do corrente ano de 2019, a Marinha Portuguesa, através da corveta João Roby, colaborou com a Força Aérea Portuguesa num exercício conjunto ao largo da costa de Sesimbra, no âmbito da qualificação de tripulações de helicópteros EH101 Merlin da Esquadra 751.

A missão principal da Esquadra 751 é a Busca e Salvamento, tendo para tal três helicópteros e respectivas tripulações em alerta permanente a partir da BA6 - Montijo, BA4 - Lajes e AM3 - Porto Santo.

A manutenção de tripulações qualificadas reveste-se por isso de capital importância, para poder assegurar este serviço na imensa Zona de Busca e Salvamento de responsabilidade nacional.

Fotos: Marinha Portuguesa



quinta-feira, 31 de outubro de 2019

AVANÇA MODERNIZAÇÃO DOS FALCON 50 DA FAP [M2073 – 60/2019]

Ilustração: AEROMEC

A empresa AEROMEC, pertencente ao grupo OMNI, anunciou a 28 de Outubro de 2019 ter sido escolhida pela Força Aérea Portuguesa, para a realização de modernizações nos três Falcon 50 da sua frota.

Os trabalhos, orçamentados em 4,465M EUR, serão co-financiados por fundos da União Europeia, no âmbito dos requisitos do Single European Sky Air Traffic Management Research (SESAR) e centrar-se-ão fundamentalmente nos equipamentos de navegação e comunicações das aeronaves.

O cockpit será modernizado com equipamento da Universal Avionics (uma subsidiária da Elbit Systems Company) com a substituição de grande parte dos aviónicos para o conceito de glass cockpit, incluindo quatro painéis avançados multi-funções LCD EFI-1040.
Receberá ainda um sistema de gestão de voo UNS-1Fw para navegação por GPS e SBAS, compatível com os sistemas da Europa (EGNOS), EUA (WAAS) e Japão (MSAS); sistema de gestão de comunicações Unilink UL-801; Unidade de comunicações por satélite Iridium; modificações menores como gravador de voz e outras.

Não foi para já divulgada a calendarização dos trabalhos.









F-35 A PREÇO DE 4ª GERAÇÃO [M2072 – 59/2019]



 O pentágono e a Lockheed Martin anunciaram recentemente o contrato celebrado para aquisição de 478 caças de 5ª Geração F-35 Lightning II, no valor global de 34.000M USD. Isto significa que estas células correspondentes aos lotes 12, 13 e 14, destinadas às forças dos EUA, parceiros internacionais e vendas militares ao estrangeiro, terão o custo de aquisição mais baixo de sempre.

No acordo alcançado, o programa F-35 atinge e ultrapassa os objectivos de redução de custos em todos os modelos, colocando o F-35A a preços inferiores a 80M USD, portanto mesmo mais barato do que vários caças de 4ª Geração actualmente em produção, nomeadamente o Rafale da Dassault ou o Eurofighter Typhoon.

"Baixar os custos é essencial para o sucesso do programa [F-35]. Estou entusiasmado pelo Gabinete do Programa F-35 e a Lockheed Martin terem chegado a acordo para estes três lotes, que são um marco. Conseguiu-se uma redução de custo de 12,7% em média para as três variantes e consegue colocar o lote 13 do F-35A abaixo dos 80M USD, um lote antes do planeado" disse a propósito o TGen. Erick Fick, Oficial executivo do Programa F-35.

Os três lotes são constituídos por 291 células destinadas aos EUA, 127 para parceiros internacionais e 60 destinadas a vendas militares ao estrangeiro.


"Com estratégias de aquisição inteligentes, uma parceria forte entre o Governo e a Indústria e uma concentração incansável na qualidade e redução de custos, conseguimos reduzir os custos de aquisição do F-35 de 5ª Geração para o mesmo nível ou até abaixo de aeronaves de 4ª Geração." referiu Greg Ulmer vice-presidente da Lockheed Martin para o programa F-35, prosseguindo: "Com o custo unitário do F-35A abaixo dos 80M USD no lote 13, conseguimos ultrapassar os nossos objectivos de há um longo tempo para redução de custos, um ano antes de planeado."

Actualmente, existem já 450 F-35 em 19 bases em todo o mundo, com mais de 910 pilotos e 8350 mecânicos e técnicos treinados para o operar, acumulando mais de 220.000 horas de voo. Oito países têm já o F-35 a operar no seu espaço aéreo e sete forças atingiram a Capacidade de Operação Inicial.

Os F-35 da Aeronautica Militare Italiana desempenharam recentemente a primeira missão de patrulhamento do espaço aéreo da NATO num destacamento na Islândia, tal como o Pássaro de Ferro oportunamente noticiou.




ARTIGOS MAIS VISUALIZADOS

CRÉDITOS

Os textos publicados no Pássaro de Ferro são da autoria e responsabilidade dos seus autores/colaboradores, salvo indicação em contrário.
Só poderão ser usados mediante autorização expressa dos autores e/ou dos administradores.

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Laundry Detergent Coupons
>