segunda-feira, 10 de janeiro de 2022

PRIMEIRO ALERTA AÉREO DA NATO EM 2022 FOI PORTUGUÊS [M2284 - 1/2022]

F-16AM de alerta à descolagem na BA5 com mísseis AIM-9L Sidewinder reais      Foto de arquivo

Segundo o Comando Aéreo Aliado da NATO, o primeiro scramble de um país da NATO em 2022, ocorreu em espaço aéreo português.

Segundo esta entidade revelou nas redes sociais, no dia 8 de janeiro, dois caças F-16M da Força Aérea Portuguesa em alerta na Base Aérea nº5 em Monte Real, foram chamados a interceptar um Boeing 737 civil, que perdeu contacto rádio com o Controlo de Tráfego Aéreo no espaço aéreo português sobre o Atlântico. Assim que o contacto rádio foi restabelecido, o voo continuou em segurança até ao destino do avião nas Ilhas Canárias. 

O espaço aéreo sobre a Europa regista uma média de cerca de 35.000 movimentos aéreos por dia, tornando-o um dos espaços aéreos mais movimentados do mundo. Qualquer aeronave que voe dentro, ou se aproxime do espaço aéreo europeu da NATO, que não esteja identificada, seja por perda ou omissão intencional de comunicação com o Controlo de Tráfego Aéreo, cria um ambiente inseguro, que pode levar a um incidente aéreo. A NATO garante por isso a integridade, segurança e proteção do seu espaço aéreo, mantendo uma missão de policiamento aéreo 24 horas por dia, 7 dias por semana, 365 dias por ano, supervisionada pelo Comando Aéreo Aliado.

Em Portugal, esta tarefa é suportada por dois caças F-16M na BA5, com um tempo de resposta de 15 minutos até à descolagem.



quinta-feira, 30 de dezembro de 2021

PRIMEIROS F-16 EX-NORUEGA CHEGAM À ROMÉNIA EM 2022 [M2283 - 71/2021]

F-16AM da Força Aérea Romena à aterragem em Borcea

Segundo a revista romena especializada em aviação "Aviatia" revelou hoje 30 de Dezembro de 2021, na sua edição online, os primeiros F-16, a serem comprados pela Roménia à Noruega, poderão chegar ainda durante o próximo ano. 

Apesar do contrato de aquisição de até 32 aparelhos ainda não ter sido assinado - estando marcado para a Primavera de 2022 - foi já avançada a informação de que as primeiras três células poderão chegar à Roménia até ao final de 2022.

"Os aviões vêm chave na mão, podem voar num segundo. Terão que ser adaptados aos padrões romenos, mas estamos a falar da aplicação do esquema de pintura nacional do F-16 romeno e dos sistemas de comunicação seguros, dos sistemas de reconhecimento amigo-inimigo, todos característicos de cada nação ", disse o General Viorel Pană, Chefe do Estado-Maior da Força Aérea à TVR.

Nas mesmas declarações, o Gen. Pană comentou a necessidade de formação de um grande número de pilotos e técnicos para poder operar os 32 aviões que virão da Noruega, a adicionar aos 17 adquiridos a Portugal, e sedeados na base aérea de Borcea. De realçar que o contrato de aquisição das células F-16M portuguesas previa a formação de pilotos e técnicos, inclusivamente já depois da entrega das aeronaves. Agora, as autoridades romenas parecem interessadas em prolongar a instrução de pilotos em Portugal, enquanto a formação dos técnicos será repartida entre a Noruega e a Roménia: “Continuaremos a treinar pilotos nos EUA, pelo menos quatro por ano. E, claro, temos soluções de formação em Portugal, não na Noruega. Assim, a parte da formação com Portugal continua em aberto, enquanto as soluções para a formação do corpo técnico são exclusivamente romenas e norueguesas ” referiu.

Apesar da formação de técnicos aparentemente não passar por Portugal desta vez, com a entrega da última célula ex-FAP, estava já definido o envolvimento luso na modernização das aeronaves já fornecidas.

Ainda segundo a revista Aviatia, o cronograma de entrega dos 32 F-16 ex-noruegueses, prevê a conclusão do processo até 2024, quando a Força Aérea Romena completará numericamente três esquadras de voo equipadas com F-16 MLU.





segunda-feira, 20 de dezembro de 2021

BALANÇO DO DESTACAMENTO DE F-16 DA FAP NA LITUÂNIA [M2282 - 70/2021]

F-16M com panóplia de armamento na cerimónia de recepção da FND na BA5

Na passada terça-feira 14 de Dezembro, realizou-se a cerimónia de recepção da Força Nacional Destacada (FND) em missão na Lituânia entre entre 1 de Setembro e 30 de Novembro de 2021.

A cerimónia realizada na Base Aérea nº5, em Monte Real, casa das Esquadras 201 e 301 da Força Aérea Portuguesa (FAP) que operam os F-16 destacados, foi presidida pela Secretária de Estado de Recursos Humanos e Antigos Combatentes, Catarina Sarmento e Castro, e contou com a presença do CEMFA Gen. Joaquim Borrego, do Comandante Aéreo TGen. Eurico Craveiro e do Comandante da BA5 Cor. João Vicente, entre outras individualidades militares.

À direita a Secretária de Estado de Recursos Humanos e Antigos Combatentes, Catarina Sarmento e Castro

O destacamento na Lituânia, realizado ao abrigo das medidas de tranquilização aumentadas da NATO, para o policiamento das repúblicas bálticas, foi comandado pelo Maj. PILAV Paulo Silva até sensivelmente metade do período, altura em que foi realizada rotação dos 84 elementos que asseguraram a missão, passando depois o comando para o Maj. PILAV Emídio Fernandes até ao final.

Entrega da bandeira da FAP usada pela FND pelo Maj. Fernandes ao Gen. Borrego

Durante os três meses do destacamento, as aeronaves portuguesas alternaram prontidão de alerta de 15 e 180 minutos, com o destacamento dinamarquês em Siauliai. Totalizaram sete missões reais (Alpha scramble) de identificação e intercepção de aeronaves não identificadas e 19 missões de treino (Tango scramble), com 100% de eficácia. 

Além de apoio no policiamento aéreo do Báltico ao destacamento da Real Força Aérea Dinamarquesa em Siauliai, o destacamento da FAP realizou ainda 161 missões de treino conjuntas e combinadas com forças aliadas na região, entre as quais se destacam a participação no exercício Ramstein Alloy, a escolta de bombardeiros estratégicos da USAF B-1B, integração com a força naval SNMG1 (que incluía a fragata da portuguesa NRP Corte-Real), além de exercícios de apoio aéreo próximo com tropas de várias nacionalidades, que serviram para aprimorar a interoperabilidade dentro da NATO e países parceiros.

A nível de manutenção, as aeronaves destacadas (15101, 03, 12 e 42) demonstraram uma disponibilidade de 98,8% durante o período do destacamento, tendo realizado um total de 440 horas de voo.

No seu discurso, o Gen. Joaquim Borrego enalteceu a dedicação, profissionalismo e espírito de missão dos elementos que asseguraram o destacamento, que permite ao país honrar os compromissos internacionais que assumiu e terminar com o sentimento de dever cumprido.

General CEMFA na alocução aos presentes na cerimónia na BA5

De igual modo, a Drª Catarina Sarmento Castro sublinhou o reconhecimento internacional do desempenho da FND e a importância da missão desempenhada com sucesso e em segurança, que demonstra o compromisso nacional com os seus aliados da NATO.


Em 2022 está previsto a FAP realizar novo destacamento de F-16 num país aliado, desta feita na Islândia.


F-16AM Fighting Falcon

Foto de grupo dos presentes na cerimónia na BA5 a 14 de Dezembro de 2021





sexta-feira, 26 de novembro de 2021

LOBOS PATRULHAM MEDITERRÂNEO PARA NATO E UE [M2281 - 69/2021]

 

P-3C CUP+ da Esquadra 601 da FAP

O Estado Maior General das Forças Armadas deu conta através da rede social Facebook de mais uma missão realizada no dia 11 de novembro pela Esquadra 601 - “Lobos” da Força Aérea Portuguesa (FAP),  no âmbito da operação da NATO “Sea Guardian”, de patrulhamento e vigilância no Mar Mediterrâneo.

Nesta missão, a aeronave P-3C CUP+, a operar a partir da Base Aérea N.º 11, em Beja, patrulhou uma área superior a 300 mil Km2, durante 8h50 de voo, tendo realizado 3240 contactos, entre os quais se encontravam 19 embarcações relacionadas com o tráfico de estupefacientes e uma embarcação de imigração ilegal. A tripulação portuguesa identificou, assim, 14 migrantes e coordenou o seu resgate das águas do Mediterrâneo.

A operação “Sea Guardian” tem como objetivo promover a segurança marítima no Mar Mediterrâneo, garantindo a liberdade de navegação e o conhecimento situacional deste mar, com foco nas atividades de tráfico de estupefacientes, armas e pessoas, vigilância do tráfego marítimo e poluição marinha. Até ao final de 2021, os Lobos irão realizar mais 6 missões no âmbito desta operação. 

A Esquadra 601 tem além disso, outra aeronave P-3C CUP+ destacada em Málaga, Espanha, a realizar patrulhamento do Mediterrâneo até ao dia 2 de dezembro, no caso atribuída à operação Índalo, da agência europeia FRONTEX.



quarta-feira, 24 de novembro de 2021

TRIPULAÇÃO DE C295M DA ESQUADRA 502 TERMINA ETAP EM ESPANHA [M2280 - 68/2021]

C295M da Esquadra 502 durante o ETAP 21-4 em Espanha      Foto: aviationphoto11

A Esquadra 502 da Força Aérea Portuguesa terminou a participação no curso ETAP (European Tactical Airlift Programme) realizado em Saragoça, Espanha, entre 7 e 19 de novembro de 2021.

Segundo o ETAC (European Tactical Airlift Centre) divulgou, no curso 21-4 participaram cerca de 160 militares com um total de oito aviões de transporte, de sete países diferentes: Alemanha e Espanha com A400M, Chéquia, Espanha, Portugal e Polónia com C295M, Noruega com C-130J e Lituânia com C-27J.

Participaram ainda dois pilotos búlgaros com observadores e uma equipa de Controladores Aérea Táticos polacos.

O programa do curso incluiu 20 horas de instrução teórica, seguidas de nove missões de voo por tripulação. A fase de voo do curso desenrolou-se principalmente na base aérea de Saragoça, aeroporto civil de Teruel, zonas de lançamento de Bardenas e São Gregório e zona de aterragem de Ablitas. 

Momento da inversão de impulso dos motores do C295M durante uma aterragem tática em Ablitas   Foto: aviationphoto11

As missões começaram pelo planeamento e tiveram tipologias abarcando as principais tarefas do transporte aéreo militar como a largada de tropas ou carga de paraquedas, voos táticos com presença de ameaças terra-ar e ar-ar, voo a baixa altitude, extrações e infiltrações de pessoal, manobras táticas de aproximação e aterragem, descarga de combate, ou operações de carga e descarga com motores em marcha. Segundo a estatística realizaram-se 43 EROs (Engine Running Operations), 6 COL (Combat Off Load), 6 SL (Static Line para-droppings), 3 ADGE (Air Delivery Gravity Extraction), 1 ADPE (Air Delivery Parachute Extraction), 20 SATB (Standard Air Training Bundle), 43 Assault Landings e Tactical Approaches, 53 Ground to Air Threat Reaction, distribuídos por mais de 60 voos e cerca de 120 horas. 

Como resultado do curso, 37 tripulantes de oito tripulações graduaram-se com sucesso. Além disso, três loadmasters de Bulgária, Itália e Portugal qualificaram-se como instrutores.

A cerimónia de graduação teve lugar no dia 18 de novembro, na base aérea de Saragoça.


Agradecimentos: Esteban Maiza



terça-feira, 23 de novembro de 2021

ALEMÃES TREINAM EM PORTUGAL [M2279 - 67/2021]


Estiveram recentemente em Portugal, forças militares alemãs em treino de saltos e operações aéreas.
Não é uma propriamente uma novidade, mas é a oportunidade de serem observadas aeronaves pouco habituais no nosso país, como o A400 Atlas e o PZL Mielec M28 Skytruck. Os alemães aproveitam as melhores condições meteorológicas do canto sudoeste da Península Ibérica para treinar operações fora da sua área habitual.



As operações decorreram sobretudo na área de Tancos, ainda que durante algum tempo, o A400 operasse a partir do Aeroporto do Porto.



segunda-feira, 1 de novembro de 2021

CONCLUÍDO 7º CURSO DE INSTRUTORES DE TÁTICAS DE HELICÓPTEROS [M2278 - 66/2021]

Os participantes da fase de voo do 7º HTIC        Foto: EDA

O 7º  Curso de Instrutores de Tácticas de Helicópteros (HTIC) da Agência Europeia de Defesa decorreu ao longo de sete semanas repartidas pela Base Aérea nº1 em Sintra, Portugal e na Base Aérea de Pápa na Hungria.

Concluído a 22 de Outubro de 2021, o curso começou no dia 30 Agosto, com uma fase teórica de quatro semanas e treino em simulador na BA1 em Sintra. Seguiu-se depois um destacamento de três semanas na Base Aérea do Pápa na Hungria, onde os participantes realizaram a fase de voo do curso. 

Simulador do Centro Multinacional de Treino de Helicópteros em Sintra

Apoiada por pessoal da Força de Defesa Húngara e da Base Aérea do Pápa, a fase de voo incluiu um cenário operacional complexo com realização de voos em formação com diferentes aeronaves, treino de evasão contra uma série de ameaças aéreas, Guerra Eletrónica (EW) contra sistemas terrestres e aéreos e toda uma panóplia de tarefas adicionais, tais como assalto de helicóptero, escolta de veículos terrestres e apoio mútuo. 

Fase de voo do HTIC em Pápa

O curso foi conduzido pela equipa de instrutores-chefe de HTIC da EDA e ministrado a tripulações austríacas, checas, alemãs, húngaras, portuguesas e suecas, voando em seis tipos diferentes de helicópteros: AW109, EH101, H145M, Mi-171, OH-58 e UH-60.

Os instrutores vieram da Áustria, Alemanha e Suécia, juntamente com algum apoio contratado da Inzpire Ltd. O curso contou além disso, com o suporte de aeronaves de asa fixa dos L-159 ALCA checos e JAS39 Gripen húngaros, atuando principalmente como ameaças durante o treino dos helicópteros. Os equipamentos de Guerra Eletrónica foram fornecidos pela Áustria e pela Hungria.

No total, foram concedidas 18 qualificações de Bronze, 7 de Prata e 3 de Ouro, garantindo uma importante contribuição para o quadro internacional de Instrutores de Táticas de Helicóptero (HTI).

Tripulações portuguesas das Esquadras 552 e 751 participantes no 7º HTIC      Foto: FAP

Os três elementos principais do HTIC são o treino de evasão, guerra eletrónica e operações avançadas. São inicialmente ministrados como capacidades autónomas, antes de serem reunidos num ambiente complexo e não permissivo, no âmbito do planeamento e execução de Operações Aéreas Compostas (COMAO).

O Curso de Instrutores de Táticas de Helicópteros (HTIC) é uma atividade de treino avançado de helicópteros destinada a formar instrutores de táticas para helicópteros, que possam depois transmitir nacionalmente os procedimentos táticos padronizados aprendidos, de modo a promover a interoperabilidade entre as unidades de helicópteros europeias e facilitar a prontidão para atividades combinadas futuras. Isto é feito independentemente do tipo de helicóptero usado e vem sendo implementado desde 2013. A partir de 2021, a sua localização mudou para Base Aérea n.º 1 em Sintra (Portugal), onde é executada a fase teórica e simulador do curso, e para a Base Aérea do Pápa (Hungria), onde é realizada a fase de voo.

O HTIC fornece, às tripulações participantes, capacidades e conhecimentos para por sua vez ensinarem táticas avançadas às tripulações operacionais dentro de cada uma das suas próprias organizações nacionais. As tripulações graduadas devem ainda auxiliar na execução do Programa de Exercícios de Helicópteros (HEP) da EDA, o Curso de Táticas de Helicóptero (HTC) e em futuros HTIC. Os diplomados com êxito no curso recebem uma qualificação reconhecida por outros Estados-Membros.

 Os cursos HTIC duram dois anos: no primeiro ano, os futuros instrutores refinam ao máximo os seus próprios conhecimentos de táticas avançadas de helicópteros e no segundo ano, a ênfase muda para desenvolver a capacidade dos participantes em ensinar essas táticas. Por sua vez, instrutores que tenham demonstrado capacidades excecionais ao ministrar o curso, são selecionados individualmente para regressar uma terceira vez e lecionar juntamente com os instrutores permanentes, para atingirem finalmente a qualificação Ouro de instrutor e tornarem-se instrutores de futuros HTIC e/ou integrar a Equipa de Instrutores Chefe do HTIC.

Fonte: EDA



domingo, 24 de outubro de 2021

PILOTO DA MARINHA PORTUGUESA CONDECORADO EM ESPANHA [M2277 - 65/2021]

 

Primeiro-tenente Pacheco Ricardo        Foto: Marinha Portuguesa

Na passada sexta-feira 22 de Outubro de 2021, o primeiro-tenente Pacheco Ricardo, da Marinha Portuguesa, foi condecorado com a Cruz del Merito Naval - Distintivo Blanco. A cerimónia teve lugar durante a Lectura de Leyes Penales, na Flotilha de Aeronaves da Aramada Espanhola, na Base Naval de Rota.

O momento da condecoração na Base Naval de Rota        Foto: Marinha Portuguesa

Segundo explica a Marinha Portuguesa em notícia do seu sítio de internet, "a Cruz del Mérito Naval - Distintivo Blanco tem por objetivo recompensar e distinguir individualmente os membros das Forças Armadas por ações e feitos ou pela prestação de serviço de reconhecido mérito e importância para a Defesa Nacional."

Ainda segundo a mesma fonte, o primeiro-tenente Pacheco Ricardo encontra-se destacado na Armada Espanhola desde outubro de 2019, no âmbito de um acordo entre as duas Marinhas para a colocação de pilotos de helicópteros da Marinha Portuguesa em esquadrilhas congéneres internacionais. Está colocado na Sexta Escuadrilla de Aeronaves, na Base Naval de Rota, onde é piloto-comandante de helicópteros Hughes 500MD (de instrução de voo). Também ocupa o cargo de Oficial de Controlo de Material no Serviço de Manutenção.

A Marinha Portuguesa acrescenta ainda que "além de adquirir experiência de voo e de contribuir para a missão da sua unidade, o acordo celebrado permite reforçar as boas relações entre a Marinha Portuguesa e a Armada Espanhola."


quinta-feira, 14 de outubro de 2021

ROTAÇÃO NO DESTACAMENTO DO P-3 NA OPERAÇÃO ÍNDALO [M2276 - 64/2021]

Destacamento da Esquadra 601 em Málaga         Foto: Esq. 601 via EMGFA

O Estado Maior General das Forças Armadas (EMGFA) deu conta da primeira rotação no destacamento da Esquadra 601 (Lobos) da Força Aérea Portuguesa, na operação INDALO 2021 da Agência Europeia da Guarda de Fronteiras e Costeira – FRONTEX, que ocorreu no passado dia 6 de outubro, em Málaga.

O destacamento foi visitado na ocasião pelo Comandante Aéreo TGen Eurico Craveiro.

O Gen. Eurico Craveiro na visita ao destacamento em Málaga     Fotos: FAP

O EMGFA classifica a operação ÍNDALO, de apoio à agência Frontex, como uma das operações mais importantes da União Europeia, em matéria de combate ao tráfico de estupefacientes, controlo da imigração ilegal, poluição marítima e pesca ilegal e, ainda, como uma mais-valia para a salvaguarda da vida humana no mar, através das missões de busca e salvamento.

O primeiro contingente destacado foi constituído por 30 militares e uma aeronave P-3C CUP+, assim como por um oficial de ligação em Madrid, no “International Coordination Center (ICC)” da agência FRONTEX, que foram agora rendidos.

Durante cerca de um mês, os "Lobos" patrulharam uma área de 488.681 milhas náuticas quadradas, tendo efetuado 80 horas de voo e detetado 11199 contactos. Entre estes, encontravam-se 54 embarcações de imigração ilegal, 10 embarcações abandonadas e 146 embarcações relacionadas com o tráfico de estupefacientes. A tripulação nacional identificou, assim, 451 migrantes e coordenou duas missões de busca e salvamento, nas quais resgatou 13 migrantes das águas do Mediterrâneo. 


Algumas das actividades monitorizadas e coordenadas pela Esquadra 601 no Mediterrâneo    
 Fotos: Esq. 601 via EMGFA


Ainda segundo o comunicado do EMGFA, os "militares da Força Aérea demonstraram um elevado grau de prontidão, profissionalismo e dedicação, tendo o seu trabalho sido reconhecido pelas entidades da União Europeia."


Foto: Esq. 601 via EMGFA

O segundo contingente de militares da Força Aérea, e a aeronave P-3C CUP+, irá operar durante mais um mês a partir de Málaga, no Mar Mediterrâneo Ocidental. A Força Aérea estará, ainda assim, empenhada nesta missão até ao próximo dia 2 de dezembro, havendo lugar a uma nova rotação antes do término da participação portuguesa em 2021.


Descolagem do P-3C da Esq.601 em Málaga       Foto: Esq. 601 via EMGFA

Portugal vem colaborando com a agência FRONTEX há já mais de uma década, seja com a plataforma P-3, seja com o C295M.



domingo, 10 de outubro de 2021

XNTM21 - O OUTRO TIGER MEET DE 2021 [M2275 - 63/2021]

Tal com é sabido, o Tiger Meet 2021 (NTM21) realizou-se em Portugal, na Base Aérea nº11 em Beja, entre 2 e 14 de Maio. Um Tiger Meet que, pese embora toda a expectativa pelos anos que vinha a ser aguardado, acabou por ser "minado" pela pandemia de Covid-19, que em muito reduziu o número de participantes, tal como as actividades previstas para o evento, em condições normais. 

De recordar ainda, que o NTM21 era na verdade, para ser o NTM20, tendo sido adiado por um ano, indo por isso "cair" no ano do 60º aniversário da NATO Tigers Association. Dado estar já definida a Esquadra 31 da Componente Aérea Belga, como a organizadora do aniversário, foi tomada a decisão salomónica de realizar os dois eventos em 2021: em Portugal o NTM21 em Maio e na Bélgica em Setembro o Extra Tiger Meet 2021 ou XNTM21.


Sendo que a Esquadra 31 belga, membro fundador do NATO Tiger Association, comemorava também o seu 70º aniversário, criou-se uma vez mais a expectativa de que em Setembro, as condições sanitárias permitissem já um evento mais participado e de maiores dimensões. Um festival aérea de três dias, dois spotters days e um dia de base aberta estavam previstos.


Do ponto de vista do público, entre os dias 10 e 13 de Setembro concretizaram-se de facto as actividades públicas, embora sujeitos a múltiplos controlos de Covid e algumas medidas de limitação de concentração de pessoas. Nada que impedisse os presentes de desfrutar novamente de um evento aeronáutico de grandes dimensões e matar saudades dos tempos pré-pandemia.


O Festival Aéreo de Sanicole em Leopoldsburg, contou além do já habitual espectáculo nocturno na sexta-feira 10 de Setembro, com dois dias mais (sábado e domingo). Os spotter days realizaram-se em Kleine Brogel no sábado 11, com exposição estática e descolagens e aterragens das aeronaves participantes no  air show de Sanicole, e na segunda-feira 13 com as partidas das aeronaves. Na sexta-feira 10, a base de Kleine Brogel esteve também aberta para as comunidades locais.



Os participantes, malgrado a pandemia estar já mais controlada em setembro, continuaram contudo escassos. Marcaram presença ainda assim em Kleine Brogel, um total de 13 Esquadras "Tiger", com aeronaves F-16M e C; Rafale; EF-2000; Tornado; Mi-17 e 24; JAS39 Gripen. 

O exercício propriamente dito, previsto para durar uma semana, ficaria contudo reduzido à realização da tradicional "Olimpíada Tigre" e à preparação de futuras edições do NTM, quando se começa a desenhar no horizonte a integração de plataformas de 5ª geração.

Os Jaguares (Esquadra 301), membros portugueses da NATO Tiger Association, tiveram uma discreta participação no XNTM21, com dois F-16AM (15105 - pintura do NTM19 e 15104) em exibição estática em Kleine Brogel.


Não sendo ainda um evento como desejado, o XNTM21 proporcionou a oportunidade de captar imagens, como só os Tiger Meetings conseguem.

Vídeo: Voo em formação de algumas das aeronaves com pinturas especiais participantes

Em 2022, o NTM será realizado em Araxos, Grécia, entre 9 e 20 de Maio.




ARTIGOS MAIS VISUALIZADOS

CRÉDITOS

Os textos publicados no Pássaro de Ferro são da autoria e responsabilidade dos seus autores/colaboradores, salvo indicação em contrário.
Só poderão ser usados mediante autorização expressa dos autores e/ou dos administradores.

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Laundry Detergent Coupons
>