domingo, 26 de setembro de 2021

ENERGIZADO PRIMEIRO KC-390 PORTUGUÊS [M2273 - 61/2021]

Visita ao primeiro KC-390 da FAP por elementos da MAF e Embraer     Foto: FAP

A Força Aérea Portuguesa (FAP) deu conta no seu sítio de internet e redes sociais, do avanço nos trabalhos do primeiro avião KC-390 Millennium destinado à Esquadra 501 daquele ramo das Forças Armadas.

O número de cauda 26901            Frame do vídeo Embraer/FAP

A aeronave, onde nas imagens vídeo divulgadas se consegue vislumbrar o número de cauda 26901, foi pela primeira vez energizada no passado dia 21 de setembro, na presença de elementos da Missão de Acompanhamento e Fiscalização (MAF) do Programa KC-390, uma equipa multidisciplinar de militares portugueses, composta por tripulantes (que iniciaram igualmente o treino na aeronave no passado dia 14), engenheiros e técnicos de manutenção da FAP. 

Visita ao cockpit do KC-390               Foto: FAP 

Primeira tripulação portuguesa do KC-390       Foto: FAP

A MAF encontra-se na fábrica da Embraer em Gavião Peixoto, no Brasil, a acompanhar as atividades de produção e teste das cinco aeronaves adquiridas pelo Estado Português e durante os próximos meses, assegurará o acompanhamento próximo da produção e preparação da entrega das aeronaves tendo em vista a satisfação de todos os requisitos estabelecidos para este Sistema de Armas. 

Patch da MAF            Foto: Pedro Santos

A etapa da produção agora concluída com a energização da primeira aeronave, acompanhada de inspeções a diversos sistemas já instalados, antecede a realização dos primeiros voos de teste, que deverão ocorrer ainda em 2021.

A entrega da primeira aeronave está contudo prevista apenas para o início de 2023, com as seguintes a ocorrerem anualmente até 2027.




quinta-feira, 23 de setembro de 2021

F-16 DA FAP NO EXERCÍCIO RAMSTEIN ALLOY 21-3 - atualizado [M2272 - 60/2021]

Atualizado 21h30 23/09/2021

F-16AM n/c 15112 e 15103 que participaram no Ramstein Alloy 21-3    Foto: Ilmavoimat

A Força Aérea Portuguesa participou no exercício Ramstein Alloy 21-3 com os caças F-16AM das Esquadras 201 e 301, que estão destacados na Base Aérea de Šiauliai na Lituânia desde o início de Setembro, ao abrigo das Medidas de Tranquilização da NATO.

O objetivo da série de exercícios Ramstein Alloy, da qual se realizou a terceira iteração de 2021 nos dias 21 e 22 de Setembro, tem por objetivo aumentar a interoperabilidade das forças aéreas dos países membros e parceiros da NATO na região do Mar Báltico. O exercício ocorre três vezes por ano. 

Os Eurofighter Typhoon F-2000 da Aeronautica Militare Italiana que também participaram no exercício, encontram-se destacados na base de Ämari, na Estónia          Foto: Ilmavoimat

Os cenários de treino incluem tarefas como o seguimento, identificação, escolta e entrega de escolta de uma aeronave que tenha sofrido perda de comunicações (COMLOSS). Além disso, a série de exercícios Ramstein Alloy oferece a oportunidade de voar Dissimilar Air Combat Training (DACT) com os diferentes tipos de caças envolvidos. 

C-27 lituano e parelha de Typhoon italianos      Foto: Ilmavoimat

No cenário da primeira missão, um C-27 J Spartan da Força Aérea Lituana simulou um avião sem comunicações rádio, que foi interceptado por uma parelha de F/A-18 Hornet finlandeses e escoltado para fora do espaço aéreo finlandês, passando a escolta a uma parelha de caças Typhoon da Força Aérea Italiana, que descolaram de Ämari, na Estónia. 

F/A-18 Hornet finlandês          Foto:  Antanas Gedrimas

Typhoon italianos observados de F/A-18 Hornet finlandês     Foto: Ilmavoimat

Foto: Ilmavoimat

Durante as restantes missões de treino, os F/A-18 Hornet da Esquadra 31 da Força Aérea Finlandesa descolando de Rissala, realizaram combate aéreo com os Typhoon italianos operando a partir da base Ämari na Estónia e os F-16AM Portugueses, a operar como referido, a partir da Lituânia.

“O Ramstein Alloy é uma excelente oportunidade de treino para o destacamento da Força Aérea Portuguesa no Báltico. A capacidade de integrar, planear e executar um exercício multinacional como este demonstra o alcance, flexibilidade e interoperabilidade do poder aéreo da NATO. Definitivamente, somos mais fortes juntos, "afirmou o Major Paulo Silva, Comandante do destacamento português em Šiauliai.

F/A-18 finlandês e parelha de F-16AM portugueses    Foto: Ilmavoimat

F-16AM da FAP em reabastecimento aéreo por um KDC-10 neerlandês     Foto: FAP

Além da Finlândia, Itália, Lituânia e Portugal, participaram no exercício forças e meios da Dinamarca, Países Baixos, Polónia, Turquia e NATO (E-3 Sentry) 

O exercício é coordenado pela NATO Air Station na Alemanha (NATO Allied Air Command, AIRCOM).





terça-feira, 21 de setembro de 2021

PRIMEIRA TRIPULAÇÃO PORTUGUESA DE KC-390 INICIA TREINO NO BRASIL [M2271 - 59/2021]

Primeira tripulação portuguesa do KC-390 Millennium         Foto: FAP

A Força Aérea Portuguesa (FAP) anunciou hoje em comunicado de imprensa o início do treino da primeira tripulação destinada ao KC-390 Millennium. 

Segundo o mesmo comunicado, a tripulação composta por dois pilotos e dois mecânicos da Esquadra 501 - Bisontes, iniciou a formação na aeronave 14 de setembro do corrente, na Ala 2, em Anápolis, no Brasil.

A instrução, ministrada pelo 1.º Grupo de Transporte de Tropa da Força Aérea Brasileira (FAB), compreende as componentes teórica e prática do KC-390 Millennium.

A FAP sublinhou ainda no comunicado, o fortalecimento da cooperação bilateral entre os dois países, pela partilha de experiências. Enquanto a FAP adquire conhecimentos com a experiência acumulada da FAB naquela aeronave, estes beneficiam da experiência lusa no transporte aerotático.

Portugal adquiriu cinco aeronaves KC-390 Millennium e um simulador, em 2019, destinados a substituir a frota C-130H Hercules nas missões de transporte na FAP. 

O primeiro voo do primeiro KC-390 da FAP está previsto ocorrer ainda em 2021, estando o ano de 2022 reservado para testes e certificações da aeronave, com a entrega à FAP prevista já para 2023.



sábado, 18 de setembro de 2021

Moura na rota dos FW200 … [M2270 - 58/2021]

 



Já aqui falei de Aljezur, local de uma batalha aérea da 2ª Grande Guerra, mas esse é apenas um de três locais onde podemos encontrar sepulturas de guerra de alemães, que fazem parte das sepulturas da responsabilidade da Volksbund
É em Moura, dizem os livros escritos com o fogo da História, que existem seis sepulturas, resultantes de um acidente aéreo, mas por aquelas paragens do Alentejo profundo houve mais histórias deste período que envolveram não só a tripulação sepultada no cemitério municipal, como outras.


Em 1941, a 9 de Fevereiro, antes das 8 da noite, aterra de emergência nos arredores de Moura, mais precisamente na Herdade de Santa Marta, um Focke-Wulf Fw200 C-1 Condor (Werk Nr. 0003 “F8+DK”), do II/KG.40. Fazia parte de uma força de cinco aparelhos, apoiados por submarinos, que atacou um comboio naval aliado (HG53) que se dirigia de Gibraltar para Liverpool, aproximadamente a 160 milhas SW do Cabo de S. Vicente. Tentaram a aterragem de emergência, já que no ataque sofreram danos nos depósitos de combustível, já não conseguindo regressar à sua base de origem, em Bordéus-Merignac
Observado por diversas testemunhas, a tripulação de seis elementos, que saiu ilesa da aterragem, ainda chegaram fogo ao aparelho, no intuito de o destruir, o que aconteceu a boa parte da fuselagem. Fugiram rumo à fronteira com Espanha, trajando à civil e foram detidos no dia seguinte. Alojados no Grande Hotel, em Moura, sob vigilância policial, acabaram por fugir outra ainda assim, dois dias depois não sendo capturados.
A tripulação era composta por, 
                                    Oberleutanant    Erich Adam (Comandante) 
                                    Oberleutenant    Erich Grasberger 
                                    Unteroffizier      Paul Hecht 
                                    Oberfeldwebel   Dietrich Gropp 
                                    Unteroffizier      Kurt Dreier, 
                                    Unteroffizier      Herbert Pluntke.
 

Duas fotos muito conhecidas e acessíveis por diversas plataformas, mostram-nos o 
FW200 com a parte principal da fuselagem severamente destruída.

Nota do autor - pouco tempo depois da publicação deste artigo, surgiram novas fotos, que são incluídas no final do mesmo.



Mas o principal apontamento histórico que nos trás aqui hoje é o que teve lugar por volta das três da madrugada do dia 15 de Junho de 1941, quando se dá o despenhamento, já em chamas, do Focke-Wulf FW200 C3 Condor (Werk Nr. 0061), do 3/KG.40 (Kampfgeswader 40), também baseado em Bordeus-Merignac. Nele perderam a vida os seus seis tripulantes, que se encontram sepultados no cemitério de Moura.

    Oberleutnant        Erich Westermann        (geb. 16.11.1911  gest 15.06.1941) [1]
    Obergefreiter Günther Kunert            (geb. 10.08.1919  gest 15.06.1941)
    Ofw                      Gerhard Singer            
    Oberfeldwebel     Walter Reisser             (geb. 30.06.1911  gest 15.06.1941)
    Gefreiter         Erwin Hildenbrand      (geb. 25.05.1920  gest 15.06.1941)
    Unteroffizier        Fritz Grotstollen          (geb. 16.11.1917  gest 15.06.1941)

    [1] - este túmulo tem uma lápide adicional, em mármore preta, com o símbolo da cruz de ferro, e a inscrição 
“Obltn. U. Staffelkapitän E. Westermann + 16.11.1941 gef. 15.06.1941”


O aparelho foi visto a voar baixo com todos os motores em pane, despenhou-se na Herdade da Tapada, na Amareleja, quando tentava uma aterragem de emergência, sem sucesso, não havendo porém certezas se não terá havido combate aéreo com aeronaves inglesas, oriundas por exemplo, de Gibraltar, como era muitas vezes o caso.
Os restos mortais foram recolhidos  no hospital e depois, já nas urnas, foram para a igreja de Moura, onde foram velados até à realização do funeral.




  Quatro fotografias dos acervos municipais, sobejamente conhecidas do acidente e, também, 
dos caixões a serem velados até ao funeral, bem como uma imagem de um dos  túmulos no 
cemitério de Moura.


Em visita efectuada em 2020, precisamente no dia em que se comemorava o Armistício, pude recolher algumas imagens das sete sepulturas. Desconheço se neste caso, também aqui, são efectuadas cerimónias integradas no Dia da Memória (“Volkstrauentag”).
 
 




Rui “A-7” Ferreira
Entusiasta de Aviação

Nota – O autor não escreve segundo o actual acordo ortográfico.

Artigo publicado a 18/9/2021, revisto a 22/9/2021.




Agradecimentos: Carlos Guerreiro; Manuel Cascalheira; João Calado;

Agradecimentos adicionais ao António Conceição e Silva, pela cedência das fotos da sua coleção,  referentes ao acidente de 9 de Fevereiro de 1941, publicadas no final do artigo.


Sítios "Volksbund" em Portugal





Referências:

https://arquivo.cm-vidigueira.pt/viewer?id=111390&FileID=254211
 
https://portalclassicos.com/foruns/index.php?threads/hist%C3%B3rias-de-avi%C3%B5es-da-ii-guerra-mundial-no-baixo-alentej.5079/
 
https://journals.openedition.org/lerhistoria/2593?lang=fr
 
https://arquivo.cm-moura.pt/catalog
 
http://asasdeferro.blogspot.com/2015/06/focke-wulf-fw-200-condor.html
 
https://arquivo.cm-moura.pt/details?id=21647




















 
 

ARTIGOS MAIS VISUALIZADOS

CRÉDITOS

Os textos publicados no Pássaro de Ferro são da autoria e responsabilidade dos seus autores/colaboradores, salvo indicação em contrário.
Só poderão ser usados mediante autorização expressa dos autores e/ou dos administradores.

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Laundry Detergent Coupons
>