sábado, 10 de abril de 2021

SUPER TUCANO DA FAB INTERCEPTAM AVIÃO COM MAIS DE MEIA TONELADA DE DROGA [M2249 - 37/2021]

Parelha de A-29 Super Tucano da FAB

A Força Aérea Brasileira (FAB) interceptou, nesta quinta-feira 8 de Abril de 2021, uma aeronave classificada como suspeita, segundo informações de inteligência da Polícia Federal (PF), no estado do Amazonas. As ações envolveram dois caças A-29 Super Tucano da FAB, além de todo o Sistema de Defesa Aeroespacial Brasileiro (SISDABRA).

A aeronave bimotor convencional, modelo B-58 Baron, foi interceptada no Amazonas, por volta das 13h05. O bimotor foi abordado por um A-29, o qual aplicou as Medidas de Policiamento do Espaço Aéreo. A aeronave interceptada passou pelos procedimentos de averiguação e persuasão até ser ordenada a executar aterragem obrigatória em Porto Velho (Rondónia), tudo sob a coordenação conjunta do Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE) e da Polícia Federal.

A aeronave interceptada com mais de meia tonelada de droga

Na sequência, o bimotor realizou aterragem numa área de pasto em Porto Velho, onde a Polícia Federal assumiu as operações. Os dois pilotos ocupantes da aeronave evadiram-se, sendo que um deles foi preso posteriormente em flagrante pela PF. Na aeronave foram encontrados 578,5 quilos de cocaína.

O Comandante de Operações Aeroespaciais, Tenente-Brigadeiro do Ar Jeferson Domingues de Freitas, classificou a operação como de extremo sucesso. "Nesse tipo de missão nós percebemos a importância do trabalho conjunto da FAB com a Polícia Federal e demais órgãos de segurança. Ressaltando o comprometimento dos militares da FAB, que estão cem por cento envolvidos e dedicados a garantir uma navegação aérea segura. Contamos com uma estrutura e com profissionais que estão disponíveis 24 horas para executar esse tipo de missão", destacou.

As operações fazem parte da Operação Ostium para coibir atividades ilícitas transfronteiriças, na qual atuam em conjunto a FAB e Órgãos de Segurança Pública, e em cumprimento ao Decreto nº 5.144 de 16 de julho de 2004. 

Fonte: FAB
Adaptação Pássaro de Ferro


segunda-feira, 5 de abril de 2021

UMA DEZENA DE SUPER TUCANO PARA PORTUGAL? [M2248 - 36/2021]

Embraer A-29B Super Tucano da Força Aérea Brasileira

Segundo a publicação digital Infodefensa, Portugal encontra-se a negociar com a Embraer a compra de "dez exemplares do turboélice EMB-314 Super Tucano".

Segundo a mesma publicação, que cita fontes não reveladas, mas alegadamente próximas da Força Aérea Portuguesa, as aeronaves destinam-se a substituir os aviões Alpha Jet retirados em 2018, no treino avançado de pilotos, mas também para o apoio às operações militares portuguesas, no âmbito das Nações Unidas.

Apesar de se desconhecer a credibilidade das fontes citadas pelo sítio especializado em assuntos de Defesa da região ibero-americana, é sabido que Portugal realizou avaliação da aeronave de treino avançado e ataque ligeiro da Embraer, já por mais de uma ocasião. 

Além disso, ultimamente notícias na imprensa internacional têm vindo a insistir na existência de negociações destinadas à aquisição do Super Tucano (também designado A-29) por Portugal, embora geralmente baseadas apenas em suposições. Esta foi aparentemente a primeira vez que foi mencionada a quantidade de aeronaves em negociação, bem como a citação de uma alegada fonte junto do processo. Será também a primeira vez que é mencionada a intenção de dupla utilização das aeronaves para operações militares.

Portugal tem vindo a negociar com potenciais parceiros, a criação de uma Escola Internacional de Pilotos de Caça, com a utilização de novas aeronaves num regime "power by the hour", ou seja, num regime de aluguer, pagando apenas as horas de utilização da frota. Os modelos mencionados com mais insistência para esse fim têm sido o M-346 de propulsão a jato da Leonardo e o turboélice A-29 Super Tucano da Embraer.

Esta última opção pela utilização de aeronaves turboélice para o treino avançado de pilotos, vem sendo adotada por várias forças aéreas espalhadas pelo mundo, inclusivamente da NATO, como a França e a Espanha, nestes casos com a escolha do PC-21. Portugal também já realizou a avaliação deste tipo de solução, quando teve dois pilotos destacados na base aérea de Natal, no Brasil, entre 2015 e 2016, a voar o A-29 Super Tucano.

Já a capacidade de utilização do A-29 como plataforma de apoio a operações militares, seja como apoio de fogo ou para reconhecimento e vigilância, está mais que comprovada em condições de combate reais, por vários dos operadores do modelo, incluindo a Colômbia e o Afeganistão.

Infografia: Embraer

O anúncio recente da parceria entre a canadiana CAE e a Força Aérea Italiana, para utilização do M-346 numa escola internacional de pilotos, parece ter esvaziado a mesma possibilidade com Portugal, abrindo eventualmente o caminho em definitivo à opção Super Tucano. A frota mencionada de dez aeronaves para Portugal, parece contudo insuficiente para equipar uma escola internacional.

Dado que a última Lei de Programação Militar (LPM) não dispõe de dotação para a aquisição de aeronaves destinadas ao treino avançado de pilotos, o financiamento da operação teria aparentemente que vir de fontes alternativas, como a referida parceria privada. Não é contudo claro, até que ponto nestas condições (aluguer), as mesmas aeronaves poderiam ser empenhadas em operações militares em teatro de guerra, como afirma a peça da Infodefensa. Resta ainda a possibilidade de revisão da LPM, que irá ocorrer em 2022. 

Para já, aguarda-se alguma forma de comunicação oficial sobre o tema, que permita aclarar todas estas incógnitas.



sábado, 3 de abril de 2021

LOBOS REGRESSAM DE DESTACAMENTO NAS ILHAS AFRICANAS [M2247 - 35/2021]

O destacamento da Esquadra 601 em Cabo Verde com Embaixador e representantes locais     Foto via EMGFA

O Estado Maior General da Forças Armadas portuguesas informou em comunicado de imprensa o regresso hoje, dia 3 de abril de 2021, da aeronave P-3C CUP + da Força Aérea Portuguesa, com um destacamento de 36 militares da Esquadra 601 – “Lobos”, após ter realizado uma missão de cooperação bilateral com Cabo Verde.

O P-3C iniciou a missão na cidade da Praia, ilha de Santiago, em Cabo Verde, no dia 27 de março, após participar no exercício internacional OBANGAME EXPRESS em São Tomé e Príncipe.

No dia 29 de março a aeronave portuguesa realizou patrulha no Norte da Zona Económica Exclusiva (ZEE), com três elementos da Guarda Costeira de Cabo Verde a bordo, e no dia seguinte patrulhou a zona Sul com o Embaixador de Portugal em Cabo Verde, o Adido de Defesa Português na Cidade da Praia e dois elementos do Centro de Operações Marítimas e de Segurança (COSMAR) embarcados.

Durante a presença em Cabo Verde, o comandante do destacamento, Major Hélder Ferreira, apresentou cumprimentos protocolares ao Diretor Nacional de Defesa, Coronel Armindo Monteiro, ao Chefe do Estado-Maior das Forças Armadas de Cabo Verde, Major-General Anildo Morais, e ao Embaixador de Portugal em Cabo Verde, António Albuquerque Moniz.

Esta missão de cooperação bilateral foi realizada ao abrigo do Tratado de Fiscalização Conjunta de Espaços Marítimos sob Soberania ou Jurisdição da República de Cabo Verde assinado entre os dois países em setembro de 2006.



ARTIGOS MAIS VISUALIZADOS

CRÉDITOS

Os textos publicados no Pássaro de Ferro são da autoria e responsabilidade dos seus autores/colaboradores, salvo indicação em contrário.
Só poderão ser usados mediante autorização expressa dos autores e/ou dos administradores.

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Laundry Detergent Coupons
>