quarta-feira, 13 de janeiro de 2021

KC-390 PARTICIPA NO PRIMEIRO EXERCÍCIO OPERACIONAL INTERNACIONAL [M2216 - 3/2021]



A aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB) KC-390 Millennium n/c 2855 descolou na madrugada desta terça-feira 12 de janeiro de 2021, da Ala 2 – Base Aérea de Anápolis, Brasil, rumo à Luisiana, nos Estados Unidos, para participar do Exercício Operacional Culminating até o próximo dia 5 de fevereiro. Embarcaram na aeronave 21 militares do 1° Grupo de Transporte de Tropa (1° GTT) e três militares do Exército Brasileiro que irão participar do exercício.

A primeira escala foi em Boa Vista (Roraima) tendo seguidamente realizado uma paragem técnica no Porto Rico, de onde prosseguiu para o destino no aeroporto de Alexandria, no estado de Luisiana, EUA. Desde lá, os militares deslocaram-se para Fort Polk, uma unidade do exército norte-americano, que será a base dos participantes.
Rota do KC-390da FAB para a participação no exercício Culminating nos EUA

O treino envolve o empenhamento de militares do Exército Brasileiro e do Exército dos Estados Unidos em diversas missões, entre elas, operações aeroterrestres, com a participação das aeronaves KC-130J, C-17 e do KC-390 Millennium.

O embarque para a o Exercício Culminating é uma fase inédita na implantação da aeronave na Força Aérea Brasileira (FAB). “A primeira participação do KC-390 num exercício operacional é o coroamento de três anos de implantação da aeronave na FAB”, destacou o Comandante do 1° Grupo de Transporte de Tropa (1° GTT), Tenente-Coronel Luiz Fernando Rezende Ferraz.

Após mais de um ano da receção do primeiro KC-390 pela Força Aérea Brasileira, o 1° GTT já está a operar quatro aeronaves, as quais realizam missões fundamentais para o Brasil, como a atuação na Operação COVID-19 de enfrentamento à pandemia do novo coronavírus. “Tenho certeza que os militares estão prontos para cumprir as missões para representar bem o Brasil no Exercício Operacional Culminating”, complementou o Tenente-Coronel Ferraz.

De acordo com o comandante da Ala 2 – Base Aérea de Anápolis, Coronel Aviador Gustavo Pestana Garcez, houve uma preparação especial, não só dos militares, como também da aeronave KC-390 para participar do exercício. “Essa preparação mostra a capacidade da FAB de, em pouco tempo, formar tripulantes operacionais e deixá-los prontos para um treinamento com essa envergadura”, explicou.

A preparação também contou com a participação efetiva de diversos órgãos da FAB, entre eles, o Comando de Preparo (COMPREP), que é responsável por estabelecer a doutrina e determinar os detalhes do treinamento; o Comando-Geral de Apoio (COMGAP) e a Comissão Coordenadora da Aeronave de Combate (COPAC), que foram fundamentais na preparação da aeronave e da logística necessária; além do Estado-Maior da Aeronáutica (EMAER), que coordenou todos os detalhes determinantes para a participação no exercício.

A aeronave multimissão de fabrico e desenvolvimento brasileiro, com participação da indústria portuguesa em ambas as fases, foi concebida tendo como característica fundamental a interoperabilidade, de forma a integrar não só as missões da Força Aérea, mas também do Exército e da Marinha. No Exercício Culminating esse aspeto é colocado em evidência já no embarque no Brasil. A aeronave, que será utilizada para a realização de saltos dos militares do Exército, também transporta os equipamentos que serão utilizados pelos paraquedistas brasileiros.

A Sargento Fernanda De Paula é uma das loadmasters da missão, militar responsável pela coordenação da carga, e explica como os equipamentos são distribuídos: “Levamos oito toneladas de carga, entre material para os paraquedistas e material do Esquadrão. Nós preparamos a carga, de forma que o centro de gravidade da aeronave fique dentro do padrão de performance de voo”, explica sobre a organização no interior do KC-390, que possui um moderno sistema de paletização.

Além da função específica durante o traslado, o loadmaster também tem papel fundamental nos treinos executados no Exercício Operacional, pois são eles que comunicam com os paraquedistas nos momentos prévios ao salto, para passar informações sobre a aeronave. “Durante o treino, o nosso maior desafio será a comunicação numa língua diferente do português, já que a nossa função é passar aos paraquedistas tudo que nós estamos a fazer, por exemplo, comunicar os momentos de salto. Mas preparamo-nos para esse momento e temos a certeza que será bem executado”, ressaltou a militar.


O KC-390 Millennium e a tripulação vêm passando por fases de certificação e, após a conclusão de determinadas etapas, as tripulações passam a operar as diversas funcionalidades do avião até atingir a capacidade final de operação (Final Operational Capability – FOC), que estará disponível em todos os KC-390 Millennium da FAB.

Portugal adquiriu cinco unidades do KC-390 Millennium, em contrato assinado em 2019, tornando-se no primeiro cliente externo do modelo, com a primeira entrega prevista para o primeiro trimestre de 2023.. Já em 2020 a Hungria tornou-se o segundo país europeu e membro da NATO a optar pelo avião da Embraer, com uma encomenda de dois exemplares.



Fonte: FAB com adaptação do Pássaro de Ferro

Fotos: Sargento Bianca Viol/ CECOMSAER



sábado, 9 de janeiro de 2021

EDITORIAL - BALANÇO DE 2020 NO PÁSSARO DE FERRO - [M2215 - 2/2021]


Terminou há dias mais um ano de operações no Pássaro de Ferro.
Um ano com resultados muito positivos, sobretudo quando comparado com 2019.
Em 2020, todos os indicadores registaram uma considerável subida e, sobretudo as audiências, praticamente duplicaram face a 2019.
Em 2020, registaram-se mais edições (140 - Pássaro de Ferro e Porta de Embarque 04) e, como já se aludiu, mais visualizações, praticamente um milhão (918 643), com destaque para as 813 425 na página principal.
Como curiosidade, foi esta a publicação mais vista, quando ainda se pensava que o NTM2020 se iria realizar e a pandemia era algo mais ou menos impensável... Registou, até agora, 7071 visualizações.
Na página de Facebook, as muitas centenas de publicações e ligações alcançaram largas dezenas de milhões de pessoas, um pouco por todo o mundo, com destaque evidente para Portugal e Brasil e a página ultrapassou os 55 mil seguidores.
O ano de 2020 consolidou o Pássaro de Ferro com uma das principais fontes de informação na área da aviação - sobretudo no domínio da aviação militar - sempre norteado pelo rigor, seriedade e objetividade.
Pese embora tenha sido um ano evidentemente atípico, com muitos eventos no domínio da aviação cancelados/adiados (festivais, exercícios militares, etc.) devido à pandemia em curso, ainda assim conseguiu-se manter um bom ritmo de publicações, quer tenham sido referentes à atualidade, quer de pesquisa, história e opinião.
Os editores do Pássaro de Ferro agradecem a todos os colaboradores, em Portugal, Espanha, Brasil e também em alguns países da Europa e, obviamente, aos milhões leitores das suas páginas e publicações.


segunda-feira, 4 de janeiro de 2021

FORÇA AÉREA PORTUGUESA - BALANÇO 2020 [M2214 - 1/2021]

Airbus Military C295M

A Força Aérea Portuguesa revelou hoje em comunicado de imprensa, o balanço do ano de 2020, com um resumo das horas de voo e missões realizadas durante o agora pretérito ano.

No mesmo, pode por isso ler-se que foram completadas mais de 1200 missões de soberania e de apoio aos portugueses nos arquipélagos dos Açores e da Madeira, e em Portugal Continental.

Tendo 2020 sido marcado pela pandemia, a FAP realizou 35 missões de apoio logístico aéreo específicas no combate contra a COVID-19, acumulando com o funcionamento do dispositivo de alerta para dar resposta às mais diversas solicitações.

Assim, foram realizadas mais de 710 horas de voo em missões de vigilância do espaço aéreo, reais e de treino, pelas tripulações do F-16M, em prontidão máxima na Base Aérea N.º 5 em Monte Real.

Lockheed Martin F-16AM de alerta na BA5

As tripulações do EH101 Merlin, C295M e Falcon 50 descolaram para realizar 504 transportes médicos urgentes, entre ilhas e/ou das ilhas para o continente, apoiando 639 doentes, 31 resgates a navios e 30 missões de busca e salvamento, com 39 missões de acompanhamento.

Leonardo EH101 Merlin

Dassault Falcon 50

A aeronave Falcon 50, além de realizar transportes médicos de longa distância, esteve também empenhada em 30 missões de transporte de órgãos para transplante, quatro delas do estrangeiro para Portugal. As aeronaves C-130H e C295M realizaram mais de 36 missões de apoio aéreo logístico.

Lockheed Martin C-130H Hercules

Lockheed Martin P-3C CUP+ Orion

Com recurso às aeronaves C295M, P-3C CUP+, AW119Mk.II Koala e aos Sistemas Aéreos Não Tripulados (UAS), a Força Aérea realizou mais de 744 horas de voo em missões de reconhecimento e avaliação integradas no Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais e no apoio ao combate a incêndios.

Leonardo AW119 Mk.II Koala

As aeronaves P-3C CUP+ e C295M realizaram 137 missões de vigilância marítima em território nacional e internacional, o equivalente a mais de 770 horas de voo.

A Força Aérea continuou ainda a cumprir os seus compromissos internacionais com Forças Nacionais Destacadas nos diferentes teatros operacionais: Mali (MINUSMA), Polónia (ASSURANCE MEASURES) e Sul de Espanha (FRONTEX).


No total, foram realizadas mais de 4200 horas de voo ao serviço do país, suportadas por muitas mais horas de treino, preparação e manutenção, sem as quais não seria possível manter os níveis de operacionalidade e prontidão necessários.




ARTIGOS MAIS VISUALIZADOS

CRÉDITOS

Os textos publicados no Pássaro de Ferro são da autoria e responsabilidade dos seus autores/colaboradores, salvo indicação em contrário.
Só poderão ser usados mediante autorização expressa dos autores e/ou dos administradores.

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Laundry Detergent Coupons
>