sábado, 20 de abril de 2019

ROMÉNIA OFICIALIZA INTERESSE EM MAIS CINCO F-16 PORTUGUESES [M2033 - 20/2019]

F-16 do primeiro lote vendido por Portugal à Roménia

O ministro da Defesa romeno Gabriel Les, confirmou em conferência de imprensa, a intenção de comprar  cinco células F-16 a Portugal: "Todos os documentos foram já enviados para o nosso parceiro português. Só nos falta cumprir os últimos metros de distância. Acredito firmemente que é possível assinar ainda este ano o contrato para os cinco aviões" referiu.

Segundo informação adicional ventilada na imprensa romena, apenas quatro das células serão destinadas a voar, juntando-se assim às 12 do primeiro lote adquirido em Portugal, actualmente a operar a partir de Borcea, na Roménia, para perfazer um total de 16. A quinta célula destinar-se-á ao fornecimento de peças para a frota operacional.
Ainda segundo a imprensa local, as cinco células virão do AMARG nos EUA, sendo modernizadas na OGMA, em Alverca, para o padrão MLU.

O potencial negócio tinha já sido anteriormente assumido pela parte portuguesa, tanto pelo Ministério da Defesa, como pela Força Aérea, na pessoa do Gen. Manuel Rolo. Em Janeiro passado, na Comissão Parlamentar de Defesa, o então CEMFA revelou ser a alienação de cinco células F-16, a solução encontrada para financiar a modernização e operacionalidade da restante frota portuguesa. Isto significa que - ao contrário da informação veiculada na Roménia e pelo MDN inicialmente - as células a transferir para a Roménia sairão da frota nacional e não serão repostas, ficando por isso a frota da Força Aérea Portuguesa reduzida a 25 aeronaves.
A lógica subjacente a esta decisão, é de que estas cinco células têm estado paradas nos últimos anos, por falta de verbas para as manter operacionais, sendo por isso a sua venda irrelevante para a execução das operações que é possível manter actualmente.

Não há, por enquanto, informação oficial acerca dos valores envolvidos no negócio.


quinta-feira, 11 de abril de 2019

NOVA ENTREGA DE SU-30 PARA ANGOLA [M2032 - 19/2019]

Su-30 com a pintura da FAN nas instalações da 558 ARZ na Bielorússia em Setembro de 2018     Crédito: André Carvalho

A Força Aérea Nacional de Angola irá receber  mais dois caças Su-30K, de um total de doze, encomendados por Luanda à Rússia em 2013.

A notícia foi divulgada durante a visita de Estado do presidente angolano João Gonçalves, a Moscovo a 3 de Abril, quando o ministro da Defesa Salviano de Jesus Sequeira revelou que contratualmente a entrega das aeronaves está prevista para Maio próximo: "Angola teve sempre uma boa cooperação militar com a Rússia. Dentro deste contrato já recebemos seis SU-30K e esperamos que mais dois sejam entregues a Angola até ao fim de Maio".

Apesar de inicialmente previstas para 2015, as primeiras entregas viriam a ocorrer apenas em Setembro de 2017, alegadamente devido a atrasos nos trabalhos de modernização das células, anteriormente operadas pela Força Aérea Indiana, mas que poderão também estar relacionados com problemas de tesouraria angolanos, na sequência da crise económica daquele país, despoletada pelo baixo preço do petróleo.

Em Lubango podem ver-se numa das placas o que parece ser um MiG-23 e dois Su-30        Crédito: André Carvalho

Os Su-30 da nova entrega, deverão juntar-se aos anteriores em Lubango, base que congrega grande parte dos caças da FAN, e onde podiam ser observados Su-30 no Google Earth, já em Outubro de 2018.



domingo, 7 de abril de 2019

F-16 ATINGIDO PELA PRÓPRIA MUNIÇÃO [M2031 - 18/2019]

Estragos provocados pelo cartucho do canhão interno M61 Vulcan na fuselagem do mesmo F-16       Foto: RNLAF

Segundo a agência de notícias dos Países Baixos NOS, um F-16 da Força Aérea daquele país sofreu danos consideráveis ​​em Janeiro passado, durante um exercício na carreira de tiro, que parece terem sido causados pela sua própria munição. Pelo menos um cartucho disparado causou danos na fuselagem e partes da munição também acabaram no motor.

O incidente aconteceu a 21 de janeiro, quando dois F-16 disparavam rodadas de canhão contra um alvo no campo de tiro de Vliehors em Vlieland. Não causou felizmente quaisquer ferimentos e o piloto seguiu os procedimentos de emergência, tendo o caça aterrado em segurança na Base Aérea de Leeuwarden.

O Gabinete de Segurança de Voo da RNLAF tem a decorrer um inquérito para perceber como foi possível a aeronave disparar contra si própria, além de tentar perceber se a tripulação ou o pessoal de terra estiveram alguma vez em risco durante o exercício de treino.

Testes práticos estão a ser realizados e os inspectores estão em contacto com todos os envolvidos no incidente. "É um caso sério. Por isso, queremos descobrir o que aconteceu e como podemos evitar isso no futuro", disse o inspetor-geral Bargerbos.

Não se sabe quanto tempo a investigação durará.


Imagens de treino de tiro com canhão no campo de tiro de Vliehors:




ARTIGOS MAIS VISUALIZADOS

CRÉDITOS

Os textos publicados no Pássaro de Ferro são da autoria e responsabilidade dos seus autores/colaboradores, salvo indicação em contrário.
Só poderão ser usados mediante autorização expressa dos autores e/ou dos administradores.

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Laundry Detergent Coupons
>