quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

NAVIO POLIVALENTE LOGÍSTICO OU NÃO? (M1793 - 30PM/2015)

O Navio Polivalente Logístico "Siroco" da Marinha Francesa agora à venda por 80M EUR   Foto: Marine Nationale

A Marinha tentou alcançar um acordo com o Exército e a Força Aérea para incluir a compra do navio polivalente logístico francês "Siroco" na Lei de Programação Militar (LPM), disseram à Lusa fontes parlamentares.

As mesmas fontes adiantaram que a questão terá sido colocada ao nível das chefias militares no final do ano passado, pouco antes da proposta de LPM ser enviada para o parlamento, mas que tanto o Exército como a Força Aérea recusaram, alegando que os seus programas de reequipamento estavam fechados.

O interesse português no "Siroco" terá surgido durante os últimos meses de 2014, quando já ia avançada a elaboração da LPM, não tendo sido possível incluir a aquisição desta capacidade.

Uma fonte parlamentar referiu à Lusa que terão sido inclusivamente feitas diligências para um "acordo interministerial" [que incluísse Administração Interna e Saúde, além da Defesa] para a compra do "Sirocco", já que este navio polivalente logístico (NPL) tem capacidade para ser utilizado em apoio à Proteção Civil ou em situações de catástrofes naturais.

Durante uma audição à porta fechada na comissão parlamentar de Defesa, na terça-feira, a aquisição do NPL francês, também desejado por Brasil e Chile, foi discutida pelos deputados com o Chefe do Estado-Maior da Armada (CEMA), almirante Macieira Fragoso, que terá admitido que os 50 milhões de euros previstos para a modernização das fragatas poderão ser canalizados para este equipamento, avaliado em 80 milhões.

No final da audição, o chefe da Marinha disse à Lusa que a compra do NPL está em "fase final de decisão" pelo Governo e que esta é uma prioridade transversal às Forças Armadas.

"Esta é uma capacidade que está em falta no sistema de forças já há muito, mas não tem sido possível ao Estado português encontrar o financiamento para adquirir um navio dessa envergadura e agora esta pode ser uma boa oportunidade para completar essa falha", declarou.

Questionado sobre se a compra pode vir a ser financiada conjuntamente pelos três ramos, Luís Macieira Fragoso respondeu: "Pois. Não será, mas é um navio que terá emprego conjunto".

"É um navio que interessa ao sistema de forças da Marinha, é um navio de projeção de forças para assalto anfíbio, por exemplo, mas é um navio também que tem muitas capacidades para permitir que meios dos outros ramos sejam projetáveis noutros locais, também para transporte logístico, sem natureza puramente militar", acrescentou.

De notar que quatro dos doze EH101 Merlin da Força Aérea, foram adquiridos há uma década atrás, com a capacidade de dobrar a cauda e as pás dos rotores, precisamente com o intuito de poderem vir a ser utilizados num navio deste tipo.

Fonte: Lusa
Adaptação: Pássaro de Ferro




3 Voaram em formação:

justin oliveira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
justin oliveira disse...

Provavelmente o Siroco será comprado pelo Brasil.

Anónimo disse...

Neste blog está bem explicado a necessidade deste tipo de navio para as nossas FA's - http://barcoavista.blogspot.pt/2010/02/navio-polivalente-logistico.html

Jorge Moreira

ARTIGOS MAIS VISUALIZADOS

CRÉDITOS

Os textos publicados no Pássaro de Ferro são da autoria e responsabilidade dos seus autores/colaboradores, salvo indicação em contrário.
Só poderão ser usados mediante autorização expressa dos autores e/ou dos administradores.

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Laundry Detergent Coupons
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...>