quinta-feira, 10 de julho de 2014

CORSAIR II - 15 ANOS DE TEMPO - Parte II (M1650 - 81AL/2014)

Parte I 

 - Segunda parte -

O A-7P 15524, fotografado no regresso de uma missão operacional, em Dezembro de 1997.

Atualmente,o A-7P 15524 está preservado em monumento, junto à Porta de Armas da Base Aérea nº 5, em Monte Real. Créditos na imagem.

O A-7P 15537, em aproximação para aterragem, em 1994 (Holanda-Leeuwarden). Créditos na imagem.

A-7P 15537, presentemente junto à Porta de Armas do Campo de Tiro de Alcochete.

Imagem do TA-7P 15545, estacionado na placa Bravo da BA5, em 1995. Foto: Stuart Mitchell.


No presente, o TA-7P 15545 está no Pólo do Museu do Ar do AM-1 Maceda/Ovar. Foto: Rui Ferreira.

O TA-7P (1)5550, de regresso de uma missão operacional, na Base Aérea nº 11, em Beja em 1996.

Na atualidade, o TA-7P 15550 está presente no Museu do Ar, em Sintra. Créditos na imagem.

Para além destes oito exemplares, que persistem por inteiro e visitáves, existem mais dois aparelhos A-7P, no caso: o 15502 e o 15519, cuja localização é a seguinte:
O A-7P (1)5502 foi doado ao Museu de Cracóvia, na Polónia.

A-7P (1)5502 na Polónia. Créditos na imagem.

O A-7P 15519 está, neste momento, "armazenado" em Alcochete. O registo fotográfico que se apresenta reporta-se, contudo, à altura em que o aparelho esteve na Ota (até 2011).

A-7P 15519 num Hangar da Ota. Foto: Rui Ferreira.

Existe ainda a parte frontal da fuselagem do A-7P 15503 - que durante vários anos esteve em exposição (por inteiro) no Museu do Ar, em Sintra e que se encontra presentemente em Alverca.
Parte frontal do A-7P 15503. Foto: Rui Ferreira.

Junto às instalações da Esquadra 301 - Jaguares, na Base Aérea nº 5 em Monte Real, onde antes eram as da última esquadra que operou o A-7P, a 304 - Magníficos, está a deriva do A-7P 15517, como monumento.

Deriva do A-7P 15517, hoje como monumento, junto à atual Esquadra 301-Jaguares, na BA5-Monte Real.
Existe igualmente a parte frontal do A-7P 15536, pertença da coleção particular de Miguel Teodoro.

Parte frontal do A-7P 15536. Foto: Miguel Teodoro.

Segundo as pesquisas efetuadas, é este o "ponto de situação" relativamente ao que resta da frota A-7P/TA-7P Corsair II.
Alguns colecionadores têm também em sua possa, pequenas partes dos aviões e que, de modo simples, ajudam a manter viva a memória ligada ao velho "SLUF" (Short Litle Uggly fellow).

Agradecimentos ao Rui Ferreira pelas notas e fotografias facultadas; e igualmente ao Nuno Freitas e Emanuel Alves pelas fotografias da sua autoria utilizadas nestas edições.

Pássaro de Ferro

0 Comentários:

ARTIGOS MAIS VISUALIZADOS

CRÉDITOS

Os textos publicados no Pássaro de Ferro são da autoria e responsabilidade dos seus autores/colaboradores, salvo indicação em contrário.
Só poderão ser usados mediante autorização expressa dos autores e/ou dos administradores.

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Laundry Detergent Coupons
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...>