quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

VIGILÂNCIA MARÍTIMA COM AERONAVES NÃO TRIPULADAS* (M824 - 02AL/2013)

 Ilustração - Força Aérea Portuguesa

*Artigo extraído do sítio da Força Aérea, de interesse relevante, numa altura em que o conceito de aeronaves não tripuladas está, cada vez mais, na ordem do dia. A Força Aérea Portuguesa mantém-se, também a esse nível, ao lado das suas congéneres.

«A Força Aérea Portuguesa, através da Academia da Força Aérea (AFA), é um dos 29 parceiros, provenientes de 12 países europeus, que estão envolvidos no consórcio responsável pela execução do projecto PERSEUS - Protection of EuRopean borders and SEas through the intelligent Use of Surveillance.
O projeto PERSEUS foi aprovado pela Comissão Europeia, em Março de 2010, no âmbito do concurso Seventh Framework Programme - Security Research Call (FP7-SEC), concurso este tendo como objetivo o controlo e a proteção das fronteiras europeias.
Em conformidade, o projeto PERSEUS tem como principal objectivo integrar tecnologia inovadora que permita implementar um sistema de vigilância do perímetro marítimo da União Europeia - desde as regiões costeiras até ao alto mar - tendo em vista o incremento dos níveis de segurança das populações face a situações de emergência ou de ameaças externas, tanto de âmbito militar como civil (emigração ilegal, desembarque de droga, atividades marítimas ilícitas, etc). Pretende-se que este sistema funcione de forma complementar e integrada relativamente aos sistemas de vigilância atualmente em operação, aumentando a capacidade de resposta destes em termos de eficiência e rapidez.
Num ambiente de integração e cooperação nacional e comunitária, cada um dos parceiros desenvolve as suas atividades de investigação em áreas complementares e afins, tendo em vista o desenvolvimento de sinergias conducentes à concretização do objetivo final do projeto PERSEUS. O envolvimento neste projeto de 12 países europeus, com interesses e objetivos diversificados, impõe a necessidade de uma cobertura geográfica mais abrangente no âmbito da vigilância marítima.
No âmbito do projeto PERSEUS cabe à Força Aérea Portuguesa utilizar tecnologia desenvolvida no projeto PITVANT na área de plataformas aéreas não tripuladas (UAV) tendo em vista, nomeadamente, as seguintes ações: i) demonstração do uso de novas ferramentas de monitorização de longo alcance operadas a partir de plataformas UAV de pequena e média dimensão (até 150 kg de peso máximo à descolagem); ii) desenvolvimento de conceitos de operação para vigilância marítima envolvendo, de forma integrada e colaborativa, aeronaves tripuladas e UAV.
O projeto PERSEUS tem uma duração de quatro anos. Desde o seu início, em Janeiro de 2011, foram definidos, até ao momento, requisitos técnicos e operacionais relativamente às missões de vigilância a empreender, bem como possíveis demonstrações a efetuar.
Em conformidade, terão lugar demonstrações em Portugal, Espanha, França e Itália, em 2013, e na Grécia, em 2014.
No que concerne à demonstração a realizar em Portugal, a mesma terá possivelmente lugar ao largo dos Açores, no segundo trimestre de 2013, estando prevista a recolha de dados, em ambiente marítimo, por plataformas UAV desenvolvidas no âmbito do projeto PITVANT e sua disseminação para um terminal PERSEUS.
Para além da Academia da Força Aérea e do INOV-INESC, o projecto PERSEUS, liderado pela INDRA (Espanha - Indústria), envolve a EADS-DS (França - Indústria), a DCNS (França - Indústria), a Technical Expert Architecture SoS Engineering (Itália - I&T), a Isdefe (Espanha - Agência Governamental), a EADS Casa (Espanha - Indústria), a Demokritos (Grécia - ID), a Saab (Suécia - Indústria), a ASTRA (Luxemburgo - Indústria), Boeing Europa (I&T) e a Luxspace (Alemanha - Prestador de Serviços Aeroespaciais), entre outros.
De referir que, com a experiência e o know-how que a AFA tem vindo a adquirir desde 2009, no âmbito do projeto PITVANT, reúne atualmente, condições para integrar projetos comunitários envolvendo UAV, em situação de igualdade com instituições nacionais e internacionais de grande prestígio, integração que se espera venha a ser, doravente, cada vez mais incrementada»
 
Fonte:Força Aérea
Texto:TenCor José Morgado
Engenheiro Eletrotécnico

0 Voaram em formação:

ARTIGOS MAIS VISUALIZADOS

CRÉDITOS

Os textos publicados no Pássaro de Ferro são da autoria e responsabilidade dos seus autores/colaboradores, salvo indicação em contrário.
Só poderão ser usados mediante autorização expressa dos autores e/ou dos administradores.

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Laundry Detergent Coupons
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...>