terça-feira, 6 de novembro de 2012

ILYUSHIN IL-476 OU O RENASCIMENTO DA MÃE RÚSSIA (M750 - 44AL72012)

A indústria aeronáutica Russa como que parece querer renascer de um período menos brilhante, que resultou do fim da guerra fria e da desagregação provocada pelas alterações políticas daí decorrentes, sobretudo no mosaico de nações do leste.

Recentemente, e em pleno "renascimento da aviação russa", o Ministro do Comércio e Indústria Russo, Denis Manturov, anunciou ao Presidente Vladimir Putin que o Ilyushin Il-476 estava pronto a descolar e a ser produzido.  

Descolagem do Il-476, para o seu voo FCF.
Sendo por assim dizer um Il-76 modernizado, os peritos afirmam, contudo, que se trata de uma aeronave mais capaz, mais rápida e com mais poder de carga e que pode muito bem vir a ser um sucesso nas operações de transporte aéreo.

Um Il-76 "Candid", apresta-se para aterrar. Crédito na foto.

O Il-476 é portanto, à semelhança do Il-76, um quadrimotor e apresenta-se numa versão "upgrade" com novos avnicos, equipamentos de navegação de última geração e novos sistemas/mecanismos de aterragem e acabou de certa forma por nascer com o desmembramento da URSS e a deslocalização da fábrica de Tashkent para Ulyanovsk. A decisão preconizava a montagem de uma nova linha, capaz de produzir o 476 e fazer dele uma boa aeronave para incrementar o renascimento da marca e da capacidade russa no domínio da aviação. Contudo, apenas nos últimos anos o impulso decisivo para esta aeronave foi dado, até se chegar aqui.

Mas Il-476 tem características absolutamente novas. Está equipado com motores "turbofan" mais potentes, de consumos bem mais reduzidos e que, por isso, disponibilizam um aumento do alcance destes aviões até aos 6 mil quilómetros, bastante mais do que o alcance do IL-76. Está também dotado com novos sistemas de navegação, dispondo de LCD's no cockpit e adotando por isso mesmo o conceito "glass cockpit" que cada vez mais se generaliza nas aeronaves de mais recente geração. A sua fuselagem também foi melhorada e reforçada e está apta a operar em condições mais duras e agressivas no que se refere a pistas. Pode transportar 50 toneladas de carga à velocidade de 850 Km/h.

O Il-476 no seu hangar/doca onde está a ser preparado para continuar o legado do Il-76. O aparelho mantém o "tradicional" aspeto das aeronaves de transporte de leste, com várias zonas envidraçadas, facto que as torna únicas. Crédito na foto.

O avião superou as provas de esforço e tem, segundo os peritos, fortes possibilidades de posterior modernização e não é de surpreender que venha a ser utilizado por países NATO, sobretudo os que se "transferiram" do ex-Pacto de Varsóvia e que mantém ligação à indústria aeronáutica russa.  

A Rússia (o governo russo não desdenha a possibilidade de adquirir várias dezenas de aparelhos para a renovação das frotas de carga das forças militares), a China, Índia e Malásia perfilam-se já como potenciais compradoras/utilizadoras destes aparelhos, sendo de esperar, por isso, que se possa vir a tornar num sucesso de vendas.

Pormenor no avião, de um dos seus motores e da asa esquerda.

2 Voaram em formação:

Anónimo disse...

Os motores são turbofan, motores turbo-prop tem por exemplo o C-130.

António Luís disse...

Correto, caro anónimo. Um lapso que irá ser corrigido.
Obrigado.

ARTIGOS MAIS VISUALIZADOS

CRÉDITOS

Os textos publicados no Pássaro de Ferro são da autoria e responsabilidade dos seus autores/colaboradores, salvo indicação em contrário.
Só poderão ser usados mediante autorização expressa dos autores e/ou dos administradores.

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Laundry Detergent Coupons
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...>