terça-feira, 28 de agosto de 2012

As Crónicas de Alverca - North American F-100 “Super Sabre” (M702 - 5RF/2012)


Nota do Comando – A convite do colaborador do Pássaro de Ferro, Rui “A-7” Ferreira, o Eng. Lima Basto [*], presenteia os leitores com uma pequena nota ilustrada sobre uma foto publicada numa das edições de 1968 da Revista Mais Alto.

North American F-100 “Super Sabre”

Este texto, elaborado a pedido do grande amigo, Rui Ferreira, surge a propósito de uma fotografia de capa publicada na revista “Mais Alto” da Força Aérea Portuguesa (FAP), Ano X, nº. 110, de Junho de 1968, e na qual se vê um F-100 da USAF na placa de estacionamento do DGMFA, em Alverca. Estava presente o autor destas linhas, entre outros elementos de apoio, que ali se deslocaram pela oportunidade, e enorme curiosidade, de ver bem de perto mais uma aeronave diferente das muitas que ali aterraram.
O avião esteve em Alverca para se fazer uma avaliação e orçamento referentes a trabalhos de pintura e manutenção a executar nas Oficinas Gerais de Material Aeronáutico (OGMA), ao abrigo de contratos existentes com a USAF para outras aeronaves; daquela vez, não houve acordo entre as partes para a realização dos trabalhos.
Lembro-me no entanto que, algum tempo depois, durante o ano de 1969, ao abrigo de um desses contratos, foram pintados 20 aviões North American Rockwell OV-10 “Bronco”, avião de observação/ataque ligeiro da Air National Guard (ANG), equipado com dois motores turbo-hélice Garrett-AirResearch, T76-G-412 ou T76-G-413, com 715 hp ao veio. A revista “Mais Alto” de Outubro de 1969, dedica um artigo sobre os OV-10 “Bronco”, descrevendo as suas características técnicas.


O North American F-100 “Super Sabre” é um avião de combate supersónico, a jacto, equipado com um motor “Pratt & Whitney” J57-P-21/21A turbojet,  com um impulso de 10,200 lbf (45 kN) e com pós-combustão de 16,000 lbf (71 kN), atingindo uma velocidade de 1216 km/h ou 756 mph. Prestou serviço na Força Aérea dos Estados Unidos (USAF) de 1954 a 1971 e na National Guard (ANG) até 1979, e até mais tarde na Dinamarca, França, Taiwan e Turquia. A patrulha acrobática da USAF, os “Thunderbirds”, utilizou os F-100C e F-100D entre 1956 e 1969.
Construído pela North American Aviation como um avião de combate de alto desempenho, destinado a superar o F-86 "Sabre" e, no total, fabricaram-se 2,294 exemplares. Na USAF, foi o primeiro avião de combate a reacção capaz de manter uma  velocidade superior a Mach 1 em voo nivelado.
Utilizado como caça/bombardeiro táctico, viu serviço no conflito no Sudoeste Asiático (Vietnam), sendo gradualmente retirado de serviço em meados dos anos sessenta sendo substituido pelo pelo F-105 Thunderchief. O F-100 operou em missões de apoio aéreo próximo, essencialmente na região sul do Vietnam até ser substituído pelo Vought A-7  Corsair II.
Conhecido como “the Hun”, versão curta de “one hundred”, foi o primeiro avião da “Century Series”, designação dada aos primeiros aviões militares da série “100”.        


Century Series

North American F-100 Super Sabre
McDonnell Douglas F-101 Voodoo
Convair F-102 Delta Dagger
Republic XF-103 Thunderwarrior [protótipo/não entrou em produção]
Lockheed F-104 Starfighter
Republic F-105 Thunderchief
Convair F-106 Delta Dart
North American YF-107 [protótipo/não entrou em produção]
Noth American YF-108 Rapier [protótipo/não entrou em produção]
Bell XF-109 VTOL [avião conceptual/experimental]
McDonnell Douglas  F-110 [designação prevista para o F-4 Phantom, abandonada após a modificação ao sistema de numeração]
General Dynamics F-111 Aardvark





O Eng. Jorge Hansen Lima Basto [*] nasceu a 27 de Junho de 1943. É Bacharel em Engenharia Aeronáutica em Londres e Redhill Aerodrome, Inglaterra.  Estagiou na Rolls-Royce em Derby, Inglaterra.
Aposentado da OGMA – Indústria Aeronáutica de Portugal S.A., possui uma vasta experiência profissional, destacando-se nos últimos como Relações Públicas, no Gabinete de Comunicação e Imagem, da OGMA. Na OGMA integrou várias missões de serviço nos E.U.A., no âmbito do contrato de motores T-56 (USAF) e os motores  Rolls-Royce AE2100 e AE3007. Enquanto colaborador da OGMA participou em diversas exposições em Portugal, e em diversas edições do Salão Aeronáutico de Paris, em Le Bourget (França) e de Farnborough (Inglaterra). Foi responsável pelo estudo, planeamento e construção de três réplicas de aeronaves e seus motores, construídos na OGMA para o Museu do Ar:  um Maurice Farman MF-4 “Casta Susana” de 1911 com motor Renault V8 de 70hp; um Santos Dumont “Demoiselle XX” de 1908 com motor Darrach de 4 cilindros  35hp; e um hidroavião Fairey III D “Santa Cruz” de 1922 com motor Rolls-Royce Eagle VIII de 350hp.
É membro de diversas associações:  Associação da Aviação Experimental Chapter 1297 Lusitanos; Associação Portuguesa dos Entusiastas da Aviação (APEA); Grupo de Amigos do Museu do Ar (GAMA); Associação de Pessoal da OGMA (APOGMA);  Associação da Força Aérea Portuguesa (AFAP). Desempenha actualmente funções na Direcção do GAMA.
Ex-Oficial da Força Aérea Portuguesa do Quadro de Oficiais Milicianos Engenheiros Aéronáuticos.
É autor de diversas  publicações e artigos, sendo de destacar a publicação em 2003, pela Magno Edições, do livro “Os 100 anos da Aviação”, em Português e Inglês.
(texto adaptado da sua biografia incluída no seu livro “Os 100 anos da Aviação”)

1 Voaram em formação:

Corsário de Segunda disse...

É para mim uma subida honra poder aqui contar com esta contribuição do Sr. Eng. Lima Basto, alguém que tem muitas histórias e estórias por contar sobre a nossa aviação!
Bem-Haja!

ARTIGOS MAIS VISUALIZADOS

CRÉDITOS

Os textos publicados no Pássaro de Ferro são da autoria e responsabilidade dos seus autores/colaboradores, salvo indicação em contrário.
Só poderão ser usados mediante autorização expressa dos autores e/ou dos administradores.

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Laundry Detergent Coupons
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...>