domingo, 18 de julho de 2010

SEMPRE O A-7P - 2ª Série (M401-30/AL2010) - Adendado

O Pássaro de Ferro apresenta mais uma série de fotografias cedidas pelo Paulo Moreno, recorde-se, obtidas em 1991, altura em que os céus nacionais ainda eram dominados pelo A-7P.
Nesta primeira imagem, vemos a placa Bravo 1, frente à manutenção, onde se podem ver várias aeronaves. O TA-7P 5546, um Fiat G-91 e a parte de trás de um outro A-7P. Notar o 5546 equipado com um dispositivo utilizado em testes de motor, colocado na entrada de ar, por forma a evitar a sucção de objectos estranhos para o motor P&W TF-30 P408.

Outra foto do mesmo local, agora de um outro ângulo, notando-se mais uma vez que TA-7P 5546 foi rebocado para a Bravo 1, depois de ter realizado testes de motor.
Ao olharmos para o Corsair II, percebemos a origem naval do aparelho, sendo que algumas vezes, por questões de espaço e arrumação, mesmo em terra, as asas eram dobradas, conforme atestam as fotografias.
Até nisso o A-7P se diferenciou dos jactos que, então, eram operados na Força Aérea. Era sempre impressionante observar a sua silhueta sombria, fosse de asas estendidas, fosse com elas dobradas.

Vista da Bravo 1, notando-se um A-7P (5519), estacionado ao lado de 3 aparelhos Fokker F-27 Holandeses, que estavam a dar apoio à presença na BA5 de um destacamento de caças F-16 da Esquadra 313.
Esta foto revela também uma situação impensável no presente, isto é, a operação dos F-16 seria impossível na Bravo 1, com esta cheia de detritos e sujidade, como se vê nesta imagem, resultantes de obras na zona da manutenção de aeronaves, como bem adendou em comentário o Paulo Mata.

Foto da antiga placa da Esquadra 304 - Magníficos, onde se podem contar 5 F-16 Holandeses, da Esquadra 313, alinhados com alguns A-7P. Notar a diferença de silhuetas dos dois aparelhos, denunciadora de duas gerações e de dois tipos de aeronave, tão míticos quanto distintos.

Saída do A-7P 5536 da Linha da Frente da então placa da Esquadra 304 - Magníficos. Nota-se ainda estacionado o 5531 e um outro A-7P.
Nesta fotografia, vê-se também que a dada altura da operação dos A-7P, uma das estações das asas foi retirada das aeronaves, conforme já aqui foi abordado.


Dois pormenores do A-7P 5522, mais uma vez obtidos nos abrigos Alfa 1

1 Comentários:

Paulo "Wyldething 07" Mata disse...

A sujidade na Bravo 1 suponho que fosse decorrente das obras do hangar que viria a albergar as oficinas de manutenção da frota F-16 que já não estaria muito longe de entrega. Numa das foto dá inclusive para verificar estar em pintura este hangar.

ARTIGOS MAIS VISUALIZADOS

CRÉDITOS

Os textos publicados no Pássaro de Ferro são da autoria e responsabilidade dos seus autores/colaboradores, salvo indicação em contrário.
Só poderão ser usados mediante autorização expressa dos autores e/ou dos administradores.

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Laundry Detergent Coupons
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...>