segunda-feira, 6 de abril de 2009

A FEBRE DE TODAS AS NOITES



Aliada à febre avionite, costuma andar sempre a febre do modelismo. Talvez uma questão de “quem não tem cão caça com gato” em que o apreciador da aviação que por uma razão ou outra não conseguiu um trabalho relacionado com os aviões, acaba por exorcizar a possessão diabólica que o atacou.
A mim por acaso atacou-me essa febre antes de saber se podia ou não fazer uma vida profissional na força aérea, pela singela idade dos 8 anos.
Um kit a uma escala e pormenorização duvidosos, que não necessitava sequer de cola, alicate ou x-acto para se construir, que a minha mãe me comprou numa ida à baixa de Coimbra e foi o suficiente.
As semanas daí em diante eram passadas na expectativa de quando a minha mãe chegava de Coimbra, trazer mais um exemplar para a colecção.
Nessas oito semanas que tardaram para completar a colecção que acima apresento, fiz nascer um JA-37 Viggen, um Harrier, um F-105 Thunderchief, um A-5 Vigilante, um A-4 Skyhawk, um Mig-21, um Caravelle e um DC-10. De todos, falta-me este último, perdido algures nas profundezas do sótão de casa dos meus pais, apropriadamente apelidado na família como Torre do Tombo.
Os anos que se seguiram foram um sem fim de buscas por novos modelos, mais perfeitos de preferência, numa altura em que muitos dos materiais que temos à disposição hoje em dia, não eram fáceis de adquirir nem conhecer, principalmente para quem morava na província.
Ao chegar da escola e depois de cumpridos os deveres escolares, as noites eram passadas a construir um novo kit, a tentar duplicar os modelos onde sonhava talvez voar um dia.
Agora e apesar de não ter um emprego relacionado com a aviação, o que tenho também não me deixa muito tempo livre, transformando-me de coleccionador de kits num coleccionador de caixas, como comentava o nosso colega Rui "Corsário de Segunda" Ferreira alguns meses atrás aqui no Pássaro de Ferro.
E mesmo assim, quando passo em frente a lojas de modelismo continuo a sentir o impulso de comprar o avião A ou B, apesar de ter um grande número deles em lista de espera.
A febre lá está. Latente, mas está.
Talvez seja uma estirpe do paludismo. Pode desaparecer por uns tempos mas nunca fica bem curado.

1 Voaram em formação:

S7alker disse...

Deve ser uma doença que ataca certas pessoas na juventude! XD
Quando tinha mais ou menos dez anos saiu por cá uma colecção de fascículos, Aviões de Combate, e trazia kits para construir. Ainda hoje gosto dos fascículos, revendo de vez em quando para dissipar dúvidas que me assolem. Quanto aos kits, o F-16, o F-15 e o MiG-21... Não me orgulho desses. O Zero ficou porreiro, mas o melhor foi mesmo o F-14, o meu orgulho e do meu irmão. Infelizmente apanhou com uma derrocada de livros em cima...
O trauma foi tal que agora me rendi aos modelos pré-feitos. Neste momento faço a colecção dos Bombardeiros da 2ª Guerra Mundial.
Saudações.

ARTIGOS MAIS VISUALIZADOS

CRÉDITOS

Os textos publicados no Pássaro de Ferro são da autoria e responsabilidade dos seus autores/colaboradores, salvo indicação em contrário.
Só poderão ser usados mediante autorização expressa dos autores e/ou dos administradores.

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Laundry Detergent Coupons
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...>