sexta-feira, 31 de março de 2017

MARINHA E FORÇA AÉREA TREINAM NO INSTREX 171 (M1884 - 21/2017)

Fragata NRP Vasco da Gama                       Foto: Marinha Portuguesa


O exercício INSTREX 171 decorreu desde 24 de Março, envolvendo uma Força Naval nacional raramente vista a operar em conjunto, incluindo as três fragatas Bartolomeu Dias, D. Francisco de Almeida e Vasco da Gama, o navio patrulha oceânico Figueira da Foz, as corvetas João Roby e António Enes e o submarino Arpão, comandados pelo Capitão-de-mar-e-guerra Manuel Silvestre Correia.

Disparo da peça de proa do NRP Bartolomeu Dias                    Foto: Marinha Portuguesa

Meios de desembarque anfibio no conves do NPO Figueira da Foz               Foto: Marinha Portuguesa

A Marinha, atenta ao cenário geopolítico da actualidade, onde é público o recrudescer da capacidade para operar com submarinos por parte de marinhas dos países da bacia do mediterrâneo e da Ásia, e das ameaças à segurança das artérias de comunicação marítima junto à costa de países destruturados, como a Líbia, exercitou durante o exercício naval INSTREX os padrões de prontidão operacional necessários  para uma resposta militar no âmbito da defesa colectiva, e no quadro das alianças de que Portugal é parte integrante, bem como para a defesa e protecção dos interesses nacionais onde tal for necessário, onde se destaca o apoio à Diáspora em regiões de tensão.

Caça F-16 da FAP                        Foto: Marinha Portuguesa

P-3C Orion da Esquadra 601 da FAP - Lobos                Foto: Marinha Portuguesa

Sobrevoo das forças navais pelo P-3C dos Lobos                Foto: Marinha Portuguesa

A Força Aérea participou no exercicio com meios para treino de operações aeronavais, nomeadamente caças F-16 e a aeronave de patrulhamento maritimo P-3C Orion.


Força anfibia na baia de cascais e o NPO Figueira da Foz                Foto: Marinha Portuguesa

O INSTREX culminou na baía de Cascais, no dia 29 de março, com uma operação de grande dimensão - Operação Proteger - de assistência a emergência civil na sequência de uma catástrofe natural (abalo sísmico), que provoca o isolamento de uma zona populacional.

A Força Naval ao largo da baia de Cascais no dia 29 de Marco                    Foto: Marinha Portuguesa

NPO Figueira da Foz                 Foto: Marinha Portuguesa

A Marinha treinou o apoio a Autoridade Marítima Nacional na condução da operação, por forma a assegurar assistência de emergência à população sinistrada. A  Força Naval deslocada para a baía de Cascais possuía ainda capacidade de projecção anfíbia (incluindo um centro de controlo de evacuados, um posto de apoio sanitário, pessoal médico e outros militares, como necessário, para prover alimentação e assistência, num total de mais de 600 militares envolvidos.

Foto: Marinha Portuguesa

Fonte: Marinha Portuguesa, adaptação de Pássaro de Ferro



0 Voaram em formação:

ARTIGOS MAIS VISUALIZADOS

CRÉDITOS

Os textos publicados no Pássaro de Ferro são da autoria e responsabilidade dos seus autores/colaboradores, salvo indicação em contrário.
Só poderão ser usados mediante autorização expressa dos autores e/ou dos administradores.

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Laundry Detergent Coupons
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...>