domingo, 27 de outubro de 2013

VISITA ÀS FRAGATAS ÁLVARO DE BAZÁN E BLAS DE LEZO (M1235 - 313PM/2013)


Fragata Álvaro de Bazán

Dentro do comando do Agrupamento Permanente de Escoltas da NATO SNMG-2, atracaram no passado dia 8 de outubro no porto de Barcelona, as fragatas espanholas Álvaro de Bazán e Blas de Lezo, a fragata turca Salihreis e a alemã Sachsen.

A fragata F101 Álvaro de Bazán, substituirá a F103 Blas de Lez no comando do Agrupamento Permanente de escoltas da NATO, que está presentemente em missão na Operação "Active Endeavour", d eluta contra o terrorismo no Mediterrâneo e que no primeiro semestre de 2014 se presume participará na Operação "Ocean Shield" de combate à pirataria no Índico. Além disso, a SNMG-2 foi recentemente certificada como Força de Resposta Rápida da NATO (NRF).

Blas de Lezo (dir) e Álvaro de Bazán (esq)

Centrando-nos nas duas fragatas espanholas, que tivemos a oportunidade de visitar, pertencem estas à classe F100 (Álvaro de Bazán, Juan de Borbón, Blas de Lez e Mendez Nuñez) de conceção moderna e notáveis capacidades militares, de acordo com os objetivos de Defesa Nacional estabelecidos em Espanha. 
As suas capacidades para poder atuar em todo o tipo de cenários, devem-se ao seu sistema de combate AEGIS e às características técnicas que posteriormente especificaremos, que fazem das fragatas F100 alguns dos vasos de guerra mais poderosos da Armada Espanhola.

As fragatas F100 são vasos multi-funções, projetadas fundamentalmente com as seguintes características:

-Escolta oceânica de média envergadura
-Otimização para atuar como navio de comando e controlo em cenário de conflito, capaz de operar integrado na frota e proporcionar cobertura a forças expedicionárias
-Capaz de operar tanto em zonas costeiras como em alto mar de forma flexível, segundo as exigências de cada situação de conflito
-elevada capacidade antiaérea

Os lançadores de mísseis e a peça de proa na Blas de Lezo

As fragatas F100 contam principalmente com o sistema AEGIS, qeu inclui um radar multifunções SPY-1D, que permite detetar ameaças nas difíceis condições ambientais características das águas costeiras e proporcioam poder de fogo necessário para combatê-las, se necessário. Por outro lado o projeto da plataforma inclui medidas para reduzir a assinatura eletromagnética, infravermelhos e acústica do navio.

Helicóptero SH-60 da 10ª Esquadrilha

Há ainda a destacar que esta classe de navios de guerra leva embarcado um helicóptero SH-60 Bloco I Core Lamps III, da 10ª Esquadrilha, com base em Rota, que pode levar a cabo missões Surface Warfare (SUW), Undersea Warfare (USW), Busca e Slavamento (SAR), Evacuação Médica (MEDEVAC), Logísica (VERTREP e VOD), Relé de Comunicações (COMREL), Naval Surface Fire Support (NSFS) e ainda Apoio e Suporte a Operações Especiais - inflitração de Comandos mediante fast rope ou saltos de paraquedas. Conta ainda com o sistema LAMPS Mk.III, dotado de modernos sensores, que permitem a deteção de ataques por vasos de superfície e submarinos, fora do alcance dos equipamentos do navio.
Na visita começámos por percorrer o interior de ambos os navios, com destaque para a presença na ponte de comando e na proa, para observação dos lançadores mísseis. Depois, centro de comando e hangar dos helicópteros, com possibilidade de visita ao SH-60.

Cockpit do SH-60




CARACTERÍSTICAS FRAGATAS CLASSE F100


DESLOCAÇÃO
5800 Tns.
COMPRIMENTO
147 mts.
LARGURA
18.5 mts
PROPULSÂO
Diesel ou turbina (CODOG), com 2 hélices.
Altas velocidades, 2 Turbinas de Gas LM-2500.
Menos de 18 nudos, 2 Motores Diesel Bazán Bravo-12.
POTENCIA
2x23500 HP (turbinas) + 2x6000 HP (diesel).
GERADOR ELÉCTRICO
4x1100 Kw.
VELOCIDADE
29 nudos
AERONAVES
Capacidade para embarcar um Sikorsky SH-60B "Seahawk" com capacidade de lançamento de misseis Penguin e Torpedos.
TRIPULAÇÃO
201
ARMAMENTO
Lançador vertical Mk-41 para misseis Standard SM-2 y ESSM. O lançador pode albergar também misseis de cruzeiro TOMAHAWK.
Dois lançadores quádruplos de misseis Harpoon.
Canhão de 5" Mk-45 com direcionamento de tiro DORNA
Duas metralhadoras OERLIKON de 20 mm e 4 Browning de 12,7mm.
Dois lançadores duplos de torpedos Mk-32, para torpedos MK-46.
SENSORES
Radar SPY-1D com capacidade adicional de seguimento de misseis balísticos.
Superficie: AN/SPS-67
Navegaçao; AN/SPS-73
Sonar DE-1160 LF (I)
Equipamento de Guerra Electrónica ALDEBARÁN e REGULUS. Link-11 y Link-16.
OUTROS.
Sonar de casco (ativo): AN/SQS-56.


Texto e fotos: Alejandro de Prado García
Tradução e adaptação: Pássaro de Ferro





0 Voaram em formação:

ARTIGOS MAIS VISUALIZADOS

CRÉDITOS

Os textos publicados no Pássaro de Ferro são da autoria e responsabilidade dos seus autores/colaboradores, salvo indicação em contrário.
Só poderão ser usados mediante autorização expressa dos autores e/ou dos administradores.

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Laundry Detergent Coupons
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...>