domingo, 24 de julho de 2011

BASE DAS LAJES (I)

História e Papel Actual

A Base Aérea das Lajes nasceu do receio de invasão durante a 2ª Guerra Mundial por parte das Forças Aliadas e Alemãs, tendo sido enviado em Julho de 1941 pelo Governo Português um contingente com caças Gladiator MKII que tinham como principal missão a defesa das Ilhas em caso de ataque.
Apesar da neutralidade Portuguesa durante todo o conflito, o Governo de Salazar permitiu a escala nos portos Açorianos dos U-Boat’s Alemães para reabastecimento e, em resposta, a Inglaterra, ao abrigo do tratado de Aliança Luso-Britânico, acabaria por solicitar e conseguir usar a Base das Lajes para acomodar militares e aviões da Royal Air Force a partir de Agosto de 1943, assim como outras infra-estruturas aéreas e portuárias em todo o Arquipélago. Esta ocupação foi uma importante ajuda no controlo das águas do Atlântico Norte, passo fundamental para garantir a segurança dos corredores de transporte de mercadorias constantemente atacados e dizimados pelos submarinos Alemães. A partir dos Açores, os 3 esquadrões anti-submarino baseados inicialmente conseguiram afundar 53 vasos de guerra Alemães e afastar muitos outros dos comboios de transporte marítimo dos aliados.
Antes do final da 2ª Guerra Mundial os Americanos também começaram a usar a Base Aérea das Lajes através da United States Air Force (USAF), tendo-se iniciado uma relação estratégica e militar com Portugal que dura até aos dias de hoje.
Actualmente a Base das Lajes, Base Aérea N.º 4 ou BA4 é uma infra-estrutura aeronáutica de grandes dimensões, propriedade da Força Aérea Portuguesa e dependente do Comando da Zona Aérea dos Açores, que alberga para além de militares e meios nacionais, um importante contingente dos Estados Unidos da América (65th Air Force Wing). Apesar da Base não ter a importância que teve até ao término da Guerra Fria, em conflitos recentes, tais com a 1.ª Guerra do Golfo ou a 2.ª Invasão ao Iraque, desempenhou um papel importantíssimo no esforço de guerra Americano, servindo sobretudo como local de escala e reabastecimento para as aeronaves que se dirigiam para o médio oriente para entrar em combate.
Nos dias de hoje continua a ser um importante ponto de escala não só para as aeronaves Americanas, mas também para outros países da Nato que cruzam o Atlântico.
Para além da sua função militar, a Base das Lajes, responsável pela salvaguarda das águas territoriais Portuguesas, constituí também um Centro coordenador de Busca e Salvamento.

SA-330 Puma da Esquadra 751 “Pumas” ostentando a pintura especial dos 40 anos e das 70.000 horas de voo. Todas as aeronaves Puma foram retiradas de serviço, sendo substituídas definitivamente por um destacamento da Esquadra 752 com os Helicópteros EH-101.

Vista da Base das Lajes a partir da aproximação da pista 15 (Norte). As pistas 15/33 têm 3313m de comprimento e 90m de largura, contando com duas faixas extra de 15 metros. Na foto ainda é visível um B747 da Kalitta Air a operando um voo de Carga para a USAF e uma aeronave C-295 destacada na Base. Recentemente a grande pista foi remodelada com uma nova superfície, processo que se iniciou há um ano e que presentemente ainda decorre. Na imagem é possível ver o novo basalto, não estando ainda completo o processo de marcação.


Alguns exemplos de aeronaves que têm escalado a base das Lajes nos últimos anos:

Boeing 707-373C (KC) da Força Aérea Colombiana na aproximação final às Lajes proveniente de Israel com caças Kfir a bordo, em voo de entrega. Ainda a realçar a marca dos 90 anos da Força Aérea Colombiana neste avião que foi outrora o avião Presidencial da Colômbia.


Fairchild A-10C Thunderbolt II a alinhar na pista 15, destacando-se o grande canhão de 30mm debaixo da fuselagem com o trem dianteiro colocado no lado direito. Pertence ao 81st Fighter Squadron ‘The Panthers’ baseado em Spangdahlem, Alemanha. Os A-10 sãos dos caças da USAF que mais frequentemente escalam as Lajes entre os Estados Unidos e o Médio Oriente.


Hercules C-130E da USAFE baseado em Ramstein, Alemanha, chegando às Lajes na última paragem na Europa antes de rumar a Davis Monthan para ser armazenado. Ao fundo um VC-10 da RAF.


Lockheed L-1011 TriStar K1 na aproximação final. A Royal Air Force é uma das Forças aéreas que mais utilizam as Lajes, usualmente como ponto intermediário entre a Inglaterra e o Canadá.


Texto e fotos de João Toste

Terça-feira 26 de Julho a segunda parte com mais 12 excelentes fotos de aeronaves em trânsito na BA4!

1 Voaram em formação:

Anónimo disse...

Espectacular registo de uma das bases que eu adoro!
5513

ARTIGOS MAIS VISUALIZADOS

CRÉDITOS

Os textos publicados no Pássaro de Ferro são da autoria e responsabilidade dos seus autores/colaboradores, salvo indicação em contrário.
Só poderão ser usados mediante autorização expressa dos autores e/ou dos administradores.

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Laundry Detergent Coupons
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...>