segunda-feira, 28 de junho de 2010

58 ANOS DA FORÇA AÉREA NA MADEIRA - 3 (M392-26AL/2010)

 AL-III "Rotores de Portugal" - Foto: (c) Paulo Olim

Decorreu ontem a exposição estática dos meios aéreos da Força Aérea Portuguesa na placa no Aeroporto Internacional da Madeira.
Vários milhares de pessoas rumaram ao aeroporto, numa espécie de ritual que, desta vez, não passou por apanhar um avião para vencer a insularidade, antes serviu para tomar contacto com a arma aérea nacional que, de forma brilhante e simples, se deu a conhecer por inteiro, deixando-se tocar, recebendo os olhares espantados pelo aspecto e proximidade das máquinas que, não raras vezes, não passam de entidades distantes, prostradas em fotografias ou no carácter fugaz de breves filmes.

 Alfa Jet

Ontem não. Estavam ali, à mercê do toque, com os homens e mulheres que as operam partilhando saberes e experiências, entendendo uma condição diferente de admiração e respeito, condicionada pela distância e confinada à realidade que a geografia escreveu com a perenidade dos grandes mestres.
Os F-16 terão sido, talvez, os mais "desejados". E de repente, estavam ali tão perto, inicialmente mudos e revelados ao olhar, na partida estrondosos, cientes do seu garbo e potencial, brindando a assistência com a sua ruidosa descolagem e com uma passagem de "despedida" a grande velocidade e potência.

 F-16AM 

Os Alfa Jet, de cores chamativas e a face mais visível da relação da Força Aérea com o exterior; C-295, o novo avião de transporte - moderno e versátil; os velhos, robustos e disponíveis C-130 Hércules - que percorrem o mundo com a Cruz de Cristo no dorso; o P-3C - avião de luta anti-submarina e que inaugura mais e melhores capacidades da Força Aérea nesse domínio; os velhinhos AL-III - a caminho de meio século de leais serviços ao país e a tantas vidas - e Aviocar; o "super-heli" EH-101 Merlin; o Falcon 50 - transporte de VIP's - aeronaves que executam diariamente as suas missões, cada uma com as suas competências, seja na defesa aérea do território nacional; seja nas evacuações médico-sanitárias, salvamento de vidas; no transporte geral e específico - seja de índole militar ou humanitária, etc.

EH-101 Merlin

Durante algumas horas do passado domingo, a Força Aérea mostrou que está capaz de cumprir - Ex mero Motu, as missões que lhe estão confiadas, honrando compromissos, salvaguardando vidas, territórios e uma orgulhosa condição de Portugalidade, seja na "terra mãe", seja num pequeno arquipélago que, orgulhoso, respondeu à chamada da causa do ar!

1 Comentários:

Nasa Ciência disse...

Olá,Fotos maravilhosas,ricas em cores
e vida.Paranéns,bela postagem.Obrigado.Paz e Alegria.
Caio Augsuto

ARTIGOS MAIS VISUALIZADOS

CRÉDITOS

Os textos publicados no Pássaro de Ferro são da autoria e responsabilidade dos seus autores/colaboradores, salvo indicação em contrário.
Só poderão ser usados mediante autorização expressa dos autores e/ou dos administradores.

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Laundry Detergent Coupons
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...>