quarta-feira, 3 de junho de 2009

TOPGUN os "ASES INDOMÁVEIS"


Cartaz original do cinema


Edição em VHS


Edição DVD especial


Edição Bluray especial


Cd da banda sonora

Ontem, pela enésima vez, vi o “Topgun” ou “Ases indomáveis”, tradução pouco fidedigna pela qual também ficou conhecido em terras de Camões.

Se há filmes que marcam uma vida este é um deles. Não ganhou nenhum Oscar importante é certo, não tem desempenhos fora de série, não tem um enredo particularmente brilhante. Pronto, terá uma boa banda sonora. E aviões. Grandes imagens de aviões.

Por isso fico às vezes espantado com a quantidade de ”infiéis” que à semelhança de qualquer devoto como eu adoram este filme, já com uma vintena e tal de anos em cima, e que parece não se gastar com o tempo.


A primeira vez que o vi, num cinema que hoje em dia é uma loja multinacional de roupas, sucumbido à crise que transformou a maior parte das grandes salas de espectáculo em igrejas (duvidosas), restaurantes de franchising e outras utilizações pouco dignas, tive que faltar a uma aula de geografia do sétimo ano.

Ok, eu era um atinadinho, por isso não o fiz com a leveza que muitos o faziam - para mais o meu pai descobriu!


Até ao verão seguinte ainda o veria mais um par de vezes. A terceira vez talvez a mais pitoresca, num cinema de praia, um barracão com buracos nas paredes e bancos de pau.

Daí para a frente perdi-lhe o conto e o rasto das vezes que o (re)vi, completamente impossível de registar então quando o consegui em VHS.

Claro que mal o apanhei em DVD senti-me na obrigação de o adquirir, em edição especial de luxo, para coleccionadores, apanhados e tal.

Busca-se agora a edição em bluray, que ficará à espera da compra de aparelho onde rever em alta definição as aventuras de Maverick, Iceman & companhia, na mítica escola de armas de Miramar, California.


Como na anedota light que se contava há uns anos, sobre uma senhora que adorava o filme “Musica no Coração”, e que à sexagésima vez que viu o filme exclama: "adoro este filme, tenho que o ver outra vez”.

Acho que vou fazer o mesmo. Só não sei se já não passei das sessenta vezes.


Para mais, sempre que passo na A-29 e vejo a placa com a indicação de Miramar, sou incapaz de suster um suspiro. Infelizmente é Miramar, Espinho.


PS: Nunca consegui perdoar foi os Mig-28. Consegui perdoar que o "Goose" passasse a médico na série "Serviço de Urgências", a Meg Ryan desse em alcoólica em "When a man loves a woman", agora o Mig-28... enfim, não havia necessidade.


11 Voaram em formação:

Rui Sousa, Madeira Spotters disse...

:))
Foi o Mig-28 no Top Gun e os Mig-29 do Águia de Férro.... (F-4) lol!

António Luís disse...

Pois, os Mig-28 é que "estragaram" o filme...
O problema é que nós, os entendidos, sabíamos que não existia o Mig-28 e sabíamos também que aquilo eram F-5.
O comum mortal, ignoto nas coisas dos aviões, terá "engolido" o engodo... Pelo menos por cá, ainda não tinha pegado a moda das pipocas nos cinemas.
Tempos interessantes!

Paulo "Wyldething 07" Mata disse...

Bem visto caro Rui, os F-4 a servir de Mig-29 na Águia de Ferro também foram catitas, já para não falar nos mísseis que "nasciam nas asas" nessa série de filmes. Mas pronto o Mig-29 sempre existe ao contrário do Mig-28 e já se sabe que não era fácil conseguir o original para filmagens.
Abraços

S7alker disse...

Um filme que marca uma vida mesmo.
Sou outro que ainda hoje gosta de ver as aventuras de Maverick e seus camaradas, em F-14, dançando nos céus azuis de Miramar contra os A-4 de Jester e companhia. Qual não foi o meu espanto, quando puto, quando descobri que os MiG-28 eram F-5 pintados de preto. E na altura, quão espantando fiquei em saber o que era um F-5! XD
Mas passa, digo eu, afinal, como foi dito, não havia maneira de conseguir os 29, e inventar um com um numero par (não há caças MiG com numeros pares :P)era uma boa maneira de não criar confusões. Creio que a produção sabia bem o que estava a fazer. Mas lá está, fica o entendido a gritar (para dentro, diga-se): "isso é um F-5... Eu sei..." XD
Em qualquer dos, casos, é um filme divertido, que colocou o F-14 como símbolo da aviação do final da Guerra Fria, e no coração de muitos apaixonados e curiosos.

Hugo Ferraz disse...

Não pude deixar de notar quando li no seu post que o filme não era oscarizado, o que me chamou a atenção dado que tinha ideia que o filme de facto tinha recebido um oscar.Em 1987 recebeu uma estatueta dourada de melhor música/musica original pela música "Take My Breath Away". No mesmo ano ganhou ainda pela mesma música o ASCAP award, um Brit award pela melhor banda sonora, um Globo de Ouro Americano, um Golden Screen Alemão, um Golden Reel Award (USA) e finalmente o People's Choice award (USA) por melhor filme.

Foi e continua a ser um grande filme.

Com os melhores cumprimentos
Hugo Ferraz

Paulo "Wyldething 07" Mata disse...

Caro Hugo Ferraz, muito obrigado pela correcção. Lembrava-me que tinha sido nomeado para "melhores efeitos especiais" mas nessa categoria perdeu para o "Platoon". Não me lembrava de ganhar o Oscar da melhor musica, mas acabei por prestar na mesma crédito à banda sonora sem saber disso. De qualquer modo o sentido em que mencionei os Oscars foi nas categorias que realmente importa como facilmente se depreende. Nenhum filme fica na história por ganhar o Oscar de "melhor guarda-roupa" XD. De qualquer modo vou alterar o texto para ficar historicamente correcto.
Oscars à parte, mesmo que tivesse ganho todos os Razzies (prémios para os piores filmes) não era isso que me ia impedir de ver o filme 60 vezes! lol
Abraços e não deixe de participar sempre que achar conveniente.

Kleber disse...

Bom, vocês se esqueceram de citar os "Mig-23" (IAI Kfir ou F-21) no Águia de Aço (nome do Brasil).
Me parece que estão captando recursos para rodar Top Gun II, onde o Maverick seria instrutor na mesma escola em Miramar, e as aeronaves serão F/A-18.

amg disse...

existe um outro filme, um pouco mais antigo, onde os F-4 são os «reis»; chama-se «Red Flag» e não o vejo «por aí».
E é bem melhor (excepto nas combinações músicas/imagens).
Outro, também melhor (imho) é
Fighter Pilot Red Flag (1/5)

saudações de alguém que não pode ir hoje a Sintra...

amg disse...

afinal encontrei «o tal»:
Red Flag The Ultimate Game
e é de 1981...
como o tempo passa.

Paulo "Wyldething 07" Mata disse...

Em 1986 passava cá na RTP2 também uma série fantástica intitulada "Horizontes de Glória" (no inglês Call to Glory)sobre a vida de um piloto da USAF e sua família contemporâneamente à guerra do Vietname. Já me fartei da procurar na net, mas até agora ainda ninguém parece ter-se lembrado de a editar em DVD...
link: http://www.imdb.com/title/tt0086678/

Anónimo disse...

Creio que ficou na ideia dos produtores do filme que como os EUA usavam os F-5 junto com os A-4 como "agressor" na formação de seus pilotos passaria para o publico como um desses aviões o correto (no imaginário) de um legitimo Mig
e Convenhamos o que vale è o filme como um todo

ARTIGOS MAIS VISUALIZADOS

CRÉDITOS

Os textos publicados no Pássaro de Ferro são da autoria e responsabilidade dos seus autores/colaboradores, salvo indicação em contrário.
Só poderão ser usados mediante autorização expressa dos autores e/ou dos administradores.

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Laundry Detergent Coupons
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...>