sexta-feira, 20 de março de 2009

AVIOCAR

Foto: André Garcez

Foto: EMFA

O Aviocar é um avião que sempre despertou em mim um sentimento, digamos, incaracterístico.
A afirmação terá algo de enigmático, bem sei, mas tentarei, de seguida, explicar porquê.
Ora, o Aviocar é uma espécie de "mini-Hércules", com metade do tamanho e metade dos motores, enfim... Habituei-me a observá-lo vezes sem conta um pouco por todo o país, efectuando todo o tipo de missões para as quais foi "taskado", transporte, evacuação, (há uma menina nos Açores com o nome "Aviocar!...) ligação, vigilância, fotografia aérea, SCIFICAP (Sistema Integrado de vigilância, Fiscalização e Controlo das Actividades da Pesca), etc.
As suas passagens tornaram-se de tal modo vulgares que por vezes, contrariamente ao que é normal, se estivesse dentro de um edifício, nem esboçava uma ténue tentativa de o espreitar de uma janela ou porta disponível.
Não que isso represente desprezo pelo avião, (não consigo verdadeiramente desprezar nenhum avião...), nada disso, mas ver um Aviocar voar tornou-se banal. Basta-me ouvir o seu ruído bem característico para saber que ele está a passar, desempenhando com mestria a sua missão.
Para muitas pessoas que frequentam os eventos da FAP, o Aviocar é o primeiro avião onde celebram o céu, ficando por isso o Casa C-212 com essa glória tão marcante na vida de um comum mortal.
Quanto mais não seja e por tudo o que o Aviocar representa em termos históricos na Força Aérea e no imaginário de povos africanos, (no transporte de coisas tão importantes como a esperança...) por exemplo, será um avião que, quando deixar de voar, tornará, como tantos outros já tornaram, o céu mais pobre.
Em troca disso, passará a fazer parte tão saudável da memória colectiva de tanta, tanta gente que certamente não esconderá gratidão e apreço por um avião sem predicados estéticos dignos de passerelle, mas certamente, muito, muito fiel, coisa tão desusada nos dias andados!...


4 Comentários:

Luis Pacheco disse...

Talvez pela sua reduzida dimensão certa vez foi chamado de "Avião Kart" por uma açoriana em plena peça noticiosa da RTP-Açores!

Kleber disse...

Comandante... aqui por estas paragens, não temos tal aeronave no inventário da FAB. Ele executaria missão semelhante aos nossos Embraer C-95 Bandeirante. Temos alguns voando em FA's da América Latina, mas nunca os vi de perto.

António Luís disse...

Caro Luís Pacheco!

O Aviocar será, sem grande medo de errar, uma das aeronaves da Força Aérea Portuguesa com mais histórias para contar, talvez a par do AL-III.
É muito provável que o ele volte a aparecer aqui no Pássaro de Ferro, pois eu próprio tenho mais uma ou duas histórias em que ele surge como interveniente e protagonista...

Caro Kléber!
De facto, a missão atribuída ao Aviocar na FAP será mais ou menos idêntica à C-95 Bandeirante da FAB.
O Bandeirante, tanto quanto sei, é também um dos mais fortes ícones da aviação militar do Brasil, ainda por cima, produzido intra-muros (orgulho da indústria aeronáutica do Brasil) sendo que a sua escala de actuação, pelo menos dentro das fronteiras brasileiras, é imensamente maior do que a do nosso Casa C-212.

Cumprimentos.
Comandante

S7alker disse...

Ainda me lembro de ver estes a voar na zona de São Jacinto, largando os cogumelos escuros do 2º BIAT, e eu e o meu irmão todos orgulhosos a comentar um para o outro: Ali vai o pai, a descer de pára-quedas!
Foi ele e, de certo modo, os Aviocar de onde se faziam as largadas, quem nos instigou o bichinho da aviação. É das muitas coisas pelas quais estarei sempre agradecido.

ARTIGOS MAIS VISUALIZADOS

CRÉDITOS

Os textos publicados no Pássaro de Ferro são da autoria e responsabilidade dos seus autores/colaboradores, salvo indicação em contrário.
Só poderão ser usados mediante autorização expressa dos autores e/ou dos administradores.

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Laundry Detergent Coupons
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...>