domingo, 16 de novembro de 2008

MIG-25 FOXBAT

Continuando com as minhas impressões relativamente à aviação militar da ex-União Soviética, trago hoje à colação o Mig-25, mais uma das imagens de marca da poder aéreo de leste, exponenciado no tempo da "Guerra Fria".
Este avião é um exemplo cristalino de como se pode construir uma aeronave à volta de dois motores.


Basta olhar uma foto dos seus bocais de exaustão para perceber o real alcance desta afirmação. Os motores Tumansky R-15 eram detentores de potencia suficiente para fazer o Foxbat chegar a Mach 2.8, embora haja nota de alguns Mig-25 terem chegado a atingir Mach 3.2, sendo que num dos casos, este "aperto" aos motores provocou a sua paragem em voo e consequente perda da aeronave.
Este aparelho, à semelhança de muitos outros, alimentaram durante décadas uma putativa superioridade aérea do Leste sobre o Ocidente. Porém, algumas performances "propagandeáveis, como velocidade a altitude do voo, escondiam limitações no uso do armamento, autonomia e aviónicos.



Relativamente ao Mig-25, ele competia numa das sua missões - reconhecimento estratégico - com o SR-71, fosse pela velocidade fosse pelo tecto máximo de serviço.
Na "Guerra Fria", o Mig-25 foi um dos mais fortes ícones desse "estado de paz-armada global" e a fuga do piloto soviético Tenente Vitor Belenko, justamente num Mig-25 para o Japão, foi um dos episódios mais marcantes na vida desta aeronave que se tornou, entre mitos e realidades, numa lenda!



Note-se o tamanho das entradas de ar, directamente proporcional ao diâmetro dos bocais de exaustão do avião, umas e outros imprescindíveis para dar asas à sua lendária performance!...

Nota: A não perder, um magnífico vídeo de propaganda do regime soviético, na janela ao lado..

Crédito das fotos: Serguei Tsvektov (3 fotos), Yevgeni Paschnin, Vala (Airliners.net)

3 Comentários:

S7alker disse...

Não obstante as suas limitações, de facto, o MiG-25 consegue alguns feitos notáveis. Um exemplar especialmente modificado detém o recorde de altitude para uma aeronave tripulada de asa fixa (35000 metros!!). E alguns dizem que um conseguiu uma manobra de mais de 7,5 Gs, embora tenha danificado irremediavelmente a aeronave.

Spertnez disse...

O feito mais notável no meu ponto de vista foi a derrubada de um F-18 da US Navy na guerra do Golfo de 91.
Vale lembrar que outro Horner foi perdido naquele conflito e as circunstâncias não foram esclarecidas, os especialistas informaram que foi derrubado por um míssel Terra-ar. Um Foxbat voando a quase 2800km/h pode muito bem ser confundido com um míssel Terra-ar.

http://gustasou.blogspot.com/2009/06/o-rotulo-da-coreia-do-norte.html

Francoorp disse...

Eu sempre gostei desta aeronave, e acho errado uma comparação da mesma com aeronaves de caça como o F-18, F-15, etc, pois a missão para a qual foi desenvolvido é o abatimento de bombardeiros estratégicos Yankees.

Por isso toda essa velocidade e potência dos motores, ele(Mig-25) deveria alcançar, interceptar e abater eventuais bombardeiros a jato ou super sônicos que entrassem no território russo(URSS), como o B-52 ou o B1.

Acho que para esta missão especifica pela qual foi concebido, esta aeronave é perfeita... pois com uma velocidade assim, ele consegue realmente interceptar qualquer outra aeronave já construída até agora, mas combater contra caças de combate puros é missão para os Mig-29 ou Su-27 e derivados.

O mesmo conceito vale para o derivado do MIG-25, o MIG-31.


Valeu !!

ARTIGOS MAIS VISUALIZADOS

CRÉDITOS

Os textos publicados no Pássaro de Ferro são da autoria e responsabilidade dos seus autores/colaboradores, salvo indicação em contrário.
Só poderão ser usados mediante autorização expressa dos autores e/ou dos administradores.

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Laundry Detergent Coupons
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...>