segunda-feira, 2 de julho de 2012

60º ANIVERSÁRIO DA FORÇA AÉREA - COMEMORAÇÕES (M681 - 70PM/2012)


Mural na Granja do Marquês à entrada do Museu do Ar - Sintra

A antiga placa de estacionamento da Esquadra 401 com as aeronaves em exposição na BA6 - Montijo

O Super Lynx Mk.95 da Marinha e os C-212 Aviocar recentemente retirados de serviço

Quis o alinhamento dos astros (aka governos ruinosos) que o 60º aniversário da Força Aérea encontrasse o país em estado de penúria tal, que não permitisse comemorar condignamente a ocasião.
O programa de atividades da efeméride foi por isso modesto e centrado nas cerimónias militares. De resto e destinado ao público em geral, realizou-se o dia de base aberta na BA6 Montijo, com exposição das aeronaves em serviço operacional (excluindo o Chpimunk mas incluindo ainda o Aviocar já retirado de serviço) e a presença do Super Lynx da Marinha, cujas instalações de apoio são "paredes meias" com a placa onde se realizou a exposição, precisamente a placa da antiga Esquadra 401 - Cientistas, que operou os C-212 Aviocar até dezembro de 2011.

O DC-3 com pintura TAP uma das novas atrações no Polo do Museu do Ar em Sintra

O hangar dos aviões de treino que fizeram história na FAP com a sala multimédia no fundo

A luz natural dos três hangares novos proporciona um ambiente magnífico

Imagens e aeronaves das guerras de África são um dos motivos de grande interesse no Museu do Ar

Sem menosprezar as restantes atividades previstas, pode até dizer-se que o ponto maior das comemorações, foi a reabertura das instalações do Museu do Ar em Sintra ao público, depois de 6 meses em remodelações, com "novas" aeronaves, novas exposições e uma nova sala multimédia, bem ao gosto das novas gerações. O Museu do Ar ganha a forma que se pretende para um fiel guardião da memória aeronáutica nacional. De referir ainda o meritório esforço que tem sido levado a cabo pela equipa de recuperação de aeronaves, no sentido de colocar em condições de exibição e conservação, muitas das peças pertença das reservas do Museu, que ao longo dos anos se foram degradando.
Há no entanto ainda várias unidades de grande valor histórico a necessitar reparações profundas, antes que seja tarde demais para serem recuperadas. Entidades beneméritas ou pessoas interessadas em ajudar nesse sentido nunca serão por isso demasiadas, quanto mais não seja através do Grupo de Amigos do Museu do Ar ou para antigos técnicos e voluntários que queiram ajudar com mão-de-obra nas próprias recuperações.
Se o presente não é brilhante para grandes comemorações, pelo menos salve-se o passado, para não nos arrependermos no futuro.

O P2V-5 é uma das aeronaves que pelas suas dimensões ainda não tem abrigo e continua exposto aos elementos

As comemorações seguirão hoje na BA6 com desfile militar, e posteriormente com os dias de base aberta na BA5 (Monte Real) no dia 8, BA11 (Beja) no dia 29 e BA4 (Lajes) a 5 de agosto.




0 Voaram em formação:

ARTIGOS MAIS VISUALIZADOS

CRÉDITOS

Os textos publicados no Pássaro de Ferro são da autoria e responsabilidade dos seus autores/colaboradores, salvo indicação em contrário.
Só poderão ser usados mediante autorização expressa dos autores e/ou dos administradores.

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Laundry Detergent Coupons
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...>