domingo, 27 de dezembro de 2009

ESQUADRA 201, FALCÕES - DO PRESENTE AOS NOVOS DESAFIOS DO FUTURO

F-16B 15119 da Esquadra 201 toca a pista 01 da Base Aérea nº 5, no regresso de mais uma missão operacional

O Pássaro de Ferro teve, recentemente, a oportunidade de visitar a Esquadra 201 – Falcões.
Uma conversa de “comandantes”, por assim dizer, sendo nosso interlocutor o actual "Falcão-Mor" da Esquadra, o Tenente-Coronel Piloto Aviador Eugénio “Harpoon” Rocha, militar que temos o prazer de conhecer há praticamente 10 anos e que consideramos um bom amigo!
Da conversa resultou a actualização da matéria relativa aos desafios que se colocam à cinquentenária Esquadra 201, cuja riqueza histórica de certa forma “obriga” à continuação dos seus pergaminhos operacionais, assegurados por homens e meios técnicos, que face aos tempos e desafios tecnológico-operativos, a mantêm como uma incontornável referência na história da aviação militar de combate na Força Aérea Portuguesa.
Na realidade, o ano que agora está a findar marcou o início da transição dos aparelhos F-16A OCU, para os MLU. Aliás, aquando da introdução do F-16 MLU (F-16AM/BM) em 2003 na FAP, justamente o então denominado “núcleo MLU” teve origem na Esquadra 201 que, mais uma vez, estabeleceu contacto com a operação de meios aéreos tão marcantes para a história da Força Aérea Portuguesa e da aviação nacional.
Hoje a Esquadra tem já nos seus quadros, vários pilotos qualificados nos aparelhos F-16 MLU, sendo que, por agora, voam regularmente na Esquadra 301 – Jaguares, que os operam. Ainda assim, a 201 continua a ser a porta de entrada dos novos pilotos para os F-16, qualificando-os inicialmente no modelo OCU. Contudo, o ano 2010 marcará o fim dessa iniciação. A partir de 2011 os novos pilotos qualificar-se-ão directamente em MLU, dando-se como certo que, entretanto, a esquadra começará a operar também aparelhos modernizados, à medida que eles forem sendo introduzidos na frota operacional.
2009 foi também o ano em que os primeiros F-16 OCU foram transformados em MLU. Estão já operacionais o 15101, 15104 (aeronave LTF – Lead he Fleet - o primeiro modificado), o 15110 e o 15114.

Descolagem em AB do F-16AM 15104, o primeiro OCU a ser convertido em MLU

No que toca às operações com os OCU´s, o ano que agora finda marcou a história da Esquadra, já que se conseguiu manter uma elevada prontidão de aeronaves, levando por diversas vezes à “bandeira branca”, simbolicamente indicadora de 100% de capacidade da frota disponível, graças a práticas inovadoras, denominadas “lean techniques” – cujo conceito-base consiste na rentabilização máxima dos recursos disponíveis, promovendo – menos desperdício, incrementando, simultaneamente, o desenvolvimento de uma mentalidade aberta à criatividade e à inovação – mais valor, evitando estratégias de curto prazo, de forma a demonstrar a sustentabilidade das operações – mais respeito pelas pessoas. Uma estratégia que se foca na melhoria da produtividade, na redução ou eliminação de custos e tempos, promovendo as actividades que realmente acrescentam valor para a gestão operacional dos aviões. Este conceito ultrapassa as fronteiras da indústria e atinge os serviços na generalidade, envolvendo todas as cadeias que permitem a operação de meios tecnológicos desta natureza e complexidade.

F-16A 15115, antes de ser pintado para as comemorações dos 50 anos da BA5

Assim, a Esquadra 201 – Falcões, prepara-se para os novos tempos. É sempre um enorme gosto para nós constatar a sua prontidão e verificar que está sempre preparada para abraçar os novos desafios, conjugando exigência e operacionalidade, com formação e preparação do futuro, seja dos seus homens, seja dos meios técnicos que incorpora.


F-16A 15115, com a pintura comemorativa do cinquentenário da Base Aérea nº 5 - O "Voo do Sabre", com o Comandante de Esquadra - TenCor PILAV Rocha aos comandos.

4 Comentários:

Miguel disse...

Parabéns ao Pássaro de Ferro por este completo resumo de 2009, acerca da Esq.201.

Na verdade os "Falcões" são excelentes comunicadores, e cumprem com excelência uma missão... por vezes esquecida. A de "fazer" os futuros pilotos fora do seio da FAP... afinal é na camada jovem, da nossa sociedade cívil, que se encontram os próximos pilotos da FAP. E sem duvida essa mensagem chega cá ao outro lado da rede.

Parabéns António e Paulo pelo empenho neste fantástico canto da nossa aviação e Parabéns também à 201 pelo trabalho realizado ao longo destes 50 anos.

Miguel

António Luís disse...

Caro Miguel!

Agradeço/agradecemos, as tuas palavras simpáticas, relativas ao Pássaro de Ferro!
Quanto à Esq. 201, está tudo dito! ;)

Abraço e bom 2010!
O "Comandante".
António Luís

S7alker disse...

Parabéns pelo artigo.
Em relação aos Falcões está, de facto, tudo dito. Têm uma missão e uma história grandes e importantes, e são parte do orgulho que temos na nossa FAP.

Abraços

Eugénio Costa disse...

Grande artigo, grande blogue!

ARTIGOS MAIS VISUALIZADOS

CRÉDITOS

Os textos publicados no Pássaro de Ferro são da autoria e responsabilidade dos seus autores/colaboradores, salvo indicação em contrário.
Só poderão ser usados mediante autorização expressa dos autores e/ou dos administradores.

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Laundry Detergent Coupons
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...>