domingo, 25 de janeiro de 2009

SU-15 FLAGON (Actualizado)



Este aparelho de origem Russa (Ex-União Soviética) é mais um dos ícones da guerra fria, historicamente ligado"ao lado de lá".
É um dos aviões mais representativos do que de mais "obscuro" (no sentido de pouco conhecido/exposto) havia na aviação militar de leste, uma avião que não era comparável a nenhum ocidental, sobretudo pelo seu desenho algo, digamos "atarracado". Contudo, a imagem que dele chegava ao ocidente era a de um temível interceptor...



De facto, durante alguns anos, da década de 70 até meados da de 80, sensivelmente, estes aparelhos, juntamente com os Mig-25 (já aqui abordados) foram os guardas dos céus soviéticos, incorporados nas famosas e temíveis (PVO - Forças de Defesa Aérea Soviéticas).
Ora o conceito de muitos destes caças soviéticos era simples. Uma fuselagem, sem grande primores e aparatos de design; motores potentes, trens de aterragem resistentes, asas e lemes para sustentação, no caso do Flagon, um potente radar; algum espaço para o armamento e, talvez por fim, espaço para o(s) piloto(s).
Basta olhar para o desenho do Su-15 Flagon para perceber esta "teoria".



De resto, ela consubstancia-se em muitos aparelhos da aviação de caça de leste, sendo que nalguns casos, o espaço para o piloto assumia requintes de "pesadelo ergonómico", fosse pela sua exiguidade, fosse pela organização dos instrumentos na "cabine de pilotagem", digamos assim.
Resumindo, o SU-15 tornou-se famoso por ter permanecido alguns anos na "penumbra" do conhecimento. Algumas fotos dele, de que aqui em baixo dou exemplo, eram verdadeiramente furtivas e retratam de modo cristalino como se sabiam/conheciam as "coisas" do lado de lá da cortina de ferro.


Sem dúvida que o próprio princípio/conceito da guerra fria se dava, de modo tremendo, a estas mistificações que alimentaram tantas conversas de especialistas em aviação militar e em jogos geo-estratégicos, muitos deles alicerçados em conceitos puros de propaganda, como eram de resto exímios os países do ex-Pacto de Varsóvia, devidamente "tutelados" pela superpotência que era a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, URSS!
---
Adenda: Lembra o Paulo "Wildething" Mata e bem que o SU-15 foi o avião que protagonizou um dos mais tensos episódios da Guerra Fria, quando em 1983 uma parelha destes interceptores abateu um Boeing 747 das Korean Airlines que inadvertidamente invadiu o espaço aéreo soviético.
Alegadamente, a Uniao Soviética já estava "escaldada" com os EC-135 que amiude invadiam espaço aéreo soviético em missões de guerra electrónica e reconhecimento estratégico.
O Boeing 747 foi tido como aeronave hostil e abatido.
---

3 Comentários:

S7alker disse...

Que tempos...
Quando o medo e o místico assolavam nossas casas.
Quando o inimigo possuia algo aterrador, para nos fazer saltar da cama, num desespero cruel.
Quando o fim da Humanidade era o dia o de amanhã, e essa certeza se entranhava na carne e na alma.
E o terror da aniquilação de pais e filhos, daqueles que desejavam nascer um dia.
Não vivi a Guerra Fria, mas os mais pais e vários conhecidos falam-me muito desses tempos. E num mundo caótico como o de hoje... Essas palavras ecoam de um modo sinistro. Obrigado pelo Blog, continua!

Kleber disse...

Muito suscinta sua descrição do Flagon... fuselagem... motor... asas... armamento e se sobrar espaço, piloto. Vivi longe da guerra fria, do outro lado do Atlântico, mas nem por isto deixei de me interessar. Parabéns pela série, espero que continue.

António Luís disse...

Caro Kleber!

Bem-vindo ao Pássaro de Ferro!
É uma honra voarmos até ao Brasil!
Apareça sempre.
Obrigado!
O "Comandante"

ARTIGOS MAIS VISUALIZADOS

CRÉDITOS

Os textos publicados no Pássaro de Ferro são da autoria e responsabilidade dos seus autores/colaboradores, salvo indicação em contrário.
Só poderão ser usados mediante autorização expressa dos autores e/ou dos administradores.

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Laundry Detergent Coupons
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...>